Views
1 month ago

edição de 9 de janeiro de 2017

  • Text
  • Ibope
  • Agosto
  • Kantar
  • Janeiro
  • Propmark
  • Campanha
  • Mercado
  • Digital
  • Ainda
  • Jornal

mercado Verba

mercado Verba de comunicação da Prefeitura de São Paulo tem queda de 12,9% Orçamento da gestão Doria será de cerca de R$ 160 milhões, mas terá extra de R$ 200 milhões para campanhas de educação no trânsito 8 9 de janeiro de 2017 - jornal propmark

Alê Oliveira Publicidade para ações de educação e prevenção de acidentes no trânsito teve adicional de R$ 200 milhões Danúbia Paraizo Rovena Rosa/Agência Brasil/Divulgação Prefeito João Doria privilegiará ações dos programas Cidade Linda e Marginal Segura “O gOvernO Haddad fOi muitO bOm em váriOs aspectOs, cOmO na educaçãO, pOrém teve falHa na cOmunicaçãO cOm a sOciedade e a imprensa” Desde o último dia 1º, as cidades que elegeram seus representantes começaram o ano sob novo comando, mas com problemas antigos, sobretudo econômicos. Na maior cidade do país não foi diferente. Apesar de a Câmara Municipal de São Paulo ter aprovado orçamento de R$ 54,6 bilhões para o município, contra R$ 54,4 bilhões em 2016, a gestão de João Doria (PSDB) começa 2017 com caixa reduzido em parte de suas secretarias, poderes, fundos especiais, órgãos e entidades da administração direta e indireta. A verba para comunicação (incluindo publicidade) teve queda de 12,9% em relação ao último ano da gestão Haddad, passando de R$ 183,6 milhões para R$ 159,9 milhões. O Projeto de Lei 509/2016, que fixou estimativa de receita e despesas para a cidade, foi aprovado no último dia 20 e já está em vigor. Diversas secretarias tiveram redução de investimentos para o exercício 2017. A de Comunicação e Informação Social, por exemplo, teve queda de 5,1% em relação a 2016, passando de R$ 20,8 milhões para R$ 19,7 milhões. Para Maria José da Costa Oliveira, integrante do Grupo de Pesquisa em Comunicação Pública e Política - ECA/USP, ter mais ou menos recursos não é tão relevante quanto a forma como a verba será gerenciada e com quais objetivos. “Espero que a comunicação seja entendida além das mídias e recursos publicitários, sem querer desmerecê-los. A comunicação hoje tem condição de ser desenvolvida em outras dimensões, necessitando, para isso, entendimento e vontade política”. Nas duas sessões para a definição do orçamento municipal, a Comissão de Finanças e Orçamento analisou as 6.366 propostas de emendas dos vereadores. Foram aprovadas 955, entre elas, o adicional de R$ 200 milhões em publicidade para ações de educação e prevenção de acidentes no trânsito. A medida não foi unânime na Câmara, mas ficou acertado de que a verba será remanejada do Fundo Municipal de Trânsito, que teve aumento na arrecadação com multas devido aos novos valores da legislação a partir de novembro de 2016. A valor é de fato relevante. Mobilidade urbana costuma ser tema prioritário em grandes metrópoles e também será um dos pontos centrais da gestão Doria. Vale lembrar que a retomada do limite de velocidade nas marginais foi uma de suas promessas de campanha, assunto que divide opiniões. Para orientar melhor a população sobre segurança nas vias, uma das primeiras campanhas previstas é justamente para o Programa Marginal Segura. concorrência Atualmente, as agências nova/sb e Lua atendem a Prefeitura, mas desde meados de dezembro está aberta consulta pública para criação de edital de contratação de dois novos prestadores de serviços para publicidade. Os contratos serão de 12 meses renováveis contados a partir de 2 de abril e está estimado em R$ 100 milhões para as duas cotas. Até o dia 14 de janeiro, os interessados poderão enviar suas sugestões e críticas, que ajudarão a Prefeitura a elaborar o edital de concorrência pública. Segundo a proposta inicial, as empresas serão responsáveis por todo o processo desde a produção à execução técnica das peças e projetos publicitários (de mídia ou não mídia) criados, planejamento e execução de pesquisas além da criação e desenvolvimento de formas inovadoras de comunicação publicitária, sobretudo, com foco em novas tecnologias. Além do Programa Marginal Segura, as primeiras campanhas das novas agências terão como foco ações para o projeto de zeladoria urbana São Paulo Cidade Linda, informou a assessoria de imprensa do município. Para Ênio Vergeiro, presidente da APP (Associação dos Profissionais de Propaganda), a comunicação não vai ser um problema nessa gestão, diferentemente do que ocorreu com Haddad. Segundo o executivo, o fato de Doria ter intimidade com a área – é publicitário por formação e já teve agência de publicidade – facilita a relação não apenas com o mercado publicitário, mas com a imprensa. “O governo Haddad foi muito bom em vários aspectos, como na educação, porém teve falha na comunicação com a sociedade e a imprensa. O trabalho dele ficou obscuro. Já Doria é um homem da comunicação, apresentou durante muito tempo um programa de entrevistas, sabe se colocar dos dois lados. Também já orientou muitos profissionais sobre como se portar com repórteres, ele vai apenas tomar um remédio que sempre receitou”, prevê. jornal propmark - 9 de janeiro de 2017 9

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.