Views
2 months ago

edição de 6 de agosto de 2018

  • Text
  • Marca
  • Marketing
  • Mercado
  • Campanha
  • Brasil
  • Agosto
  • Marcas
  • Digital
  • Propmark
  • Jornal

agêNcias Netza lança

agêNcias Netza lança linha da Legrand com conceito Porque o simples é mais Projeto destaca novos interruptores e tomadas da Pial que exploram design e tecnologia, com aproveitamento do know-how digital do live marketing Paulo Macedo Itens essenciais da construção civil, tomadas e interruptores ganham mais sofisticação com a chegada de ofertas que exploram o design e a tecnologia para atrair consumidores e profissionais de arquitetura. A multinacional francesa Legrand está apresentando ao mercado a linha Pial Plus + que, por exemplo, tem o recurso blue led que mantém aceso o equipamento mesmo quando a luz está desligada, para facilitar seu encontro pelo usuário. O produto também permite o recarregamento de smartphones pelo sistema wireless. Um roadshow organizado pela agência de live marketing Netza, que contemplou os mercados de São Paulo, Curitiba, Brasília e Recife, fez a apresentação formal para o trade dos novos produtos. O conceito da ação Porque o simples é mais foi a base do brand space que circulou por essas cidades no último mês de julho. “É muito importante diversificarmos nossa carteira de atuação, pois levamos expertises de outros segmentos para novos clientes, fazendo um blend criativo surpreendente”, observa Fabiana Schaeffer, sócia-diretora da agência. O mercado de brand experience vem expandido sua relevância e deve contabilizar um faturamento superior a R$ 45 bilhões em 2018. O digital tem sido um aliado de peso. Nesse projeto da Legrand, a agência incorpora as expertises que o digital propicia. “As campanhas atuais têm explorado muito as plataformas digitais, seja na divulgação com o uso de redes sociais para engajamento do público, seja no formato de participação. Esse, sem dúvida, é um Fernando Ribeiro dos Santos explica que o live marketing está atento à oferta digital ganho para o segmento em prazo de implantação de uma campanha promocional, na sofisticação do recurso no live marketing, nos resultados, escalonamento de inteligência e, principalmente, em big data. Uma ação promocional digital, onde o público participa através de devices com internet, constrói uma base riquíssima do público, dos hábitos de consumo, de jornada do consumidor, e esses dados oferecem insights valiosos para tomada de decisões futuras para uma marca”, relata Divulgação “Historicamente, a tecnologia vem antes da regulamentação, a inovação está à frente e cabe ao mercado entender as regulamentações e criativamente pensar em como atuar” Fernando Ribeiro dos Santos, sócio-diretor da Netza. O cenário omnichannel vai além da venda direta, mas conhecimento mais amplo dos clientes e, consequentemente, a abertura de diálogos diferenciados. “O digital permite que o consumidor viva experiências genuínas com a marca em qualquer lugar, por exemplo, da tela do seu celular. Essa nova era da presença full muda como as marcas se relacionam e ativam seus públicos com conteúdos relevantes, interação, gamificação, recompensas etc. O tempo do achismo ou do feeling puro morreu. Sobrevive quem une uma dose do conhecimento empírico, criatividade e data Science para fazer diferente”, recomenda Fernando. Os recursos de geolocalização e aplicativos de descontos ainda são embrionários no mercado brasileiro, mas não podem ficar fora da pauta. “já aparecem com algum sucesso e isso é ótimo, pois em outros mercados de consumo early tech adopter, já vemos isso com agressividade. O brasileiro está se rendendo a ativações de cash back, de descontos e gamificação com recompensas, permitindo que as marcas estabeleçam esse diálogo através do opt in nas plataformas”. Mas tem um porém, como o sócio da Netza alerta: “Com a nova lei da preservação de dados prestes a ser validada, somente marcas que tiverem estratégias bem diferentes continuarão ativas nesses quesitos, pois acessar informações do consumidor será mais trabalhoso. Mas teremos de nos adequar. Historicamente, a tecnologia vem antes da regulamentação, a inovação está à frente e cabe ao mercado entender as regulamentações e criativamente pensar em como atuar”, ele finaliza. 42 6 de agosto de 2018 - jornal propmark

agências Édigital qualifica comunicação de pequenos comerciantes na periferia Empresa atende clientes por custo baixo em comunidade de Guarulhos (SP) RENATO ROGENSKI Existe vida e atividade de comunicação além do mainstream. E, de vez em quando, o mercado precisa voltar seu olhar para fora do ciclo de grandes contas, verbas volumosas e campanhas robustas, com superproduções e um canhão de mídia multiplataforma. Um dos exemplos é a agência Édigital, criada e comandada por Lucas Miranda, de apenas 21 anos, no bairro dos Pimentas, no município de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. O jovem empreendedor acredita que os negócios da periferia, por menores que sejam, também merecem uma divulgação de qualidade, mas sabe que dificilmente podem pagar pelo trabalho de grandes agências. Com este mindset ele atende pontualmente mais de uma dezena de pequenos comerciantes em seu bairro entre pizzarias, padarias, restaurantes e outros estabelecimentos. “Nossa ideia é entregar publicidade de qualidade para esses clientes menores, mas com um valor acessível”, afirma Miranda. Um dos primeiros clientes foi a IhCones, que comercializa pizzas em formatos de cone. “A Édigital nos ajudou em vários quesitos. Eles não só nos orientaram, mas foram lá e fizeram. Redesenharam o logo, tiraram fotos, criaram promoções, vídeo para nossa página no Facebook e deram nova roupagem para a marca. Tudo isso já tem efeito em nossas vendas”, diz Larissa Vilela, sócia-proprietária da pizzaria. Com o primeiro “case” em mãos, fortalecido pelo velho e bom boca a boca, Miranda passou a ser procurado por outros comerciantes locais e até por empresas fora da região. Em seu portfólio, hoje pode dizer que já atendeu clientes de maneira ocasional como Bauducco, Wizard e Record News. Antes de abrir as portas da Édigital, o jovem trabalhou em uma pequena agência, onde aprendeu as noções mais básicas, mas não menos essenciais, das atividades de propaganda e marketing, que depois foi aprimorando por meio de cursos. Para desenvolver as campanhas, a Édigital tem parceria com vários produtores audiovisuais do bairro, além do projeto comunitário ComCom Pimentas. Miranda não revela o faturamento da agência. Lucas Miranda: “A ideia é entregar publicidade de qualidade para esses clientes menores, mas com um valor acessível” Divulgação jornal propmark - 6 de agosto de 2018 43

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.