Views
1 week ago

edição de 6 de agosto de 2018

  • Text
  • Marca
  • Marketing
  • Mercado
  • Campanha
  • Brasil
  • Agosto
  • Marcas
  • Digital
  • Propmark
  • Jornal

merCAdo

merCAdo desAfIo No dIsCurso Fabio Wolff, sócio-diretor da agência de marketing esportivo Wolff Sports, não vê problemas no tom adotado pela marca. “Eu gostei da mensagem, do posicionamento. Está claro que é um discurso elaborado por publicitários, mas endossado por ele e é isso que vale. Afinal de contas, no futuro o atleta será cobrado por qualquer coisa diferente do que ele afirmou nesse filme. Então, sendo assim, entendo como uma mensagem autêntica”, opina. Para Wolff, a Gillette foi muito corajosa, principalmente porque o filme torna a imagem da empresa muito mais forte em sua relação com o jogador. “Em suma, nas vitórias isso é muito positivo, mas não podemos esquecer que o atleta é um ser humano e serem humanos cometem erros. É esperar que os erros que ele venha a cometer no futuro não sejam os mesmos que ele reconheceu no filme publicitário”, pondera. Apesar de ter achado a estratégia boa, Wolff admite que possivelmente tomaria um rumo diferente na abordagem da marca Neymar após o mundial. “Eu teria feito uma coletiva após a Copa do Mundo com uns dois ou três veículos, no máximo. E ficaria ausente da mídia por algum tempo. Canalizaria todo o foco e gana em jogar futebol, o que, aliás, Neymar faz como poucos, pois ele é um fenômeno”, finaliza. foCo NA BolA Na visão de Washington Olivetto, um dos maiores nomes da propaganda brasileira em todos os tempos, que atualmente mora em Londres, onde dá expediente como consultor criativo na McCann da mesma cidade, a mensagem do comercial não foi boa nem para Neymar e nem para a Gillette. “O grande ponto negativo está no fato de que, nesse momento, Neymar deveria passar um bom tempo longe da mídia e perto da bola. Fazendo gols. Para se recuperar através do seu enorme talento e depois voltar a fazer comerciais com a credibilidade já reconquistada”, acredita. Para Olivetto, a mensagem do filme soou oportunista em vez de oportuna e não era ainda a hora e nem o momento correto para que o atleta se manifestasse sobre as polêmicas envolvendo a sua imagem durante a Copa do Mundo. “Neymar não deveria realimentar através da mídia os problemas que teve. Deveria e deve, através do seu talento de jogador de futebol, fazer com que todos no mundo esqueçam os seus erros e se maravilhem com seus acertos. Com sua qualidade dentro de campo, ele pode se recuperar sem precisar de nenhuma campanha”, opina. Contudo, de maneira geral, o publicitário acredita que a Gillette e a agência podem ficar tranquilas, pois o tempo desaparecerá com o problema. “Já Neymar tem o fundamental para se recuperar, que é fato de jogar muito. Dar a volta por cima só depende dele”, pondera. futuro em joGo E se “bola para frente” é quase um mantra para quem quer esquecer coisa negativas do Reprodução “neymar preCisa, sim, de um Choque de pr. um tratamento diferenCiado, singular, úniCo. que saia da Cartilha das grandes agênCias” Fábio Wolff: “Eu teria feito uma coletiva após a Copa” passado e tocar a carreira e a vida adiante, imagine então para um jogador de futebol. A pergunta que fica no ar é: como a marca e o atleta devem agir de agora em diante? Para Ivan Martinho, será preciso reafirmar a estratégia já traçada pelo anunciante. Ele acredita que a marca seguirá com sua campanha conforme já informou em comunicado e relembra que a empresa atingiu seus objetivos e a repercussão desejada. “Já a agência tem um belo case para apresentar em suas próximas concorrências, já que convenceu a marca e o jogador a toparem a ideia. Importante frisar que o jogador, ainda que sob contrato vigente com seu patrocinador, poderia ter negado essa ideia e não ter feito o filme, mas resolveu aceitar e seguir adiante”, acrescenta. Sobre Neymar, Martinho fala que é impossível agradar a todos e ressalta que mesmo jogadores como Pelé, Maradona, Messi e Zidane não são unânimes. “Se ele e seu staff estiverem preocupados com a reputação de longo prazo, por motivos econômicos ou não, deverão escolher seu público-alvo, se preocupar em se comunicar com esse grupo de forma correta e seguir apostando em ações sociais como as do Instituto Neymar Jr., que é nobre, entre outras coisas, e assim seguir evoluindo para equilibrar o brilhantismo dos campos para brilhar também nos microfones”, pontua. Para Bruno Pinheiro, CEO da PiaR Comunicação, nada seria mais indicado a Neymar nesse exato momento do que se despir da imagem que foi construída ao longo desses anos para ser o menino que ele é, além de transparecer seus defeitos e virtudes. “Neymar precisa, sim, de um choque de PR. Um tratamento diferenciado, singular, único. Que saia da cartilha das grandes agências. Que tenha a ousadia e a alegria que o craque alega estar em suas veias. E isso não se faz com um texto incoerente, pago por um patrocinador, que foi um tiro no pé”, finaliza. 14 6 de agosto de 2018 - jornal propmark

Sua marca na maior plataforma de conteúdo de design do Rio. A Semana Design Rio chega a 6ª edição se consolidando como um evento que reafirma a cidade como polo da indústria criativa. Realizado pela primeira vez no MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - uma das mais importantes instituições culturais do país - o evento vai reunir grandes nomes do mercado em palestras, workshops, exposições, e muitas outras atrações. Ao patrocinar esta edição, sua marca tem espaço garantido em ativações exclusivas, além da presença nas coberturas e nas mídias de divulgação do maior grupo de comunicação do país. Em 5 edições + de 100.000 visitantes + de 140 palestrantes nacionais e internacionais + de 200 arquitetos e designers participantes + de 400 peças expostas Conteúdos inéditos Envolvimento de diversos hubs da cidade De 13 a 16 de setembro MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Saiba mais em projetosespeciaisinfoglobo.com.br (21) 2534-5500 (11) 3767-7128 / 7447 / 7301 / 7491 Parceria: Realização:

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.