Views
1 month ago

edição de 31 de julho de 2017

  • Text
  • Marketing
  • Mercado
  • Brasil
  • Marca
  • Marcas
  • Propmark
  • Julho
  • Jornal
  • Anos
  • Paulo

MERCADO OLM26250/iStock

MERCADO OLM26250/iStock Agências indicam talentos que podem despontar em cenário futuro Profissionais ocupam hoje posições de destaque em suas respectivas áreas em seis empresas e devem fazer a diferença nos próximos anos Alisson Fernández dia a dia turbulento e dinâmico de uma agência de O publicidade, muitas vezes, acaba intimidando alguns profissionais com potencial. Mas como identificar novos talentos? Como saber se o profissional é promissor? Para Ana Leme, coach e diretora-geral da Talent Business, um dos fatores para entender se um talento está preparado para lidar com posições mais estratégicas é identificar se o profissional está ávido em aprender. “Precisamos identificar se há uma curiosidade pelo aprendizado, pela disciplina e pelas questões relacionadas à área de atuação. Precisamos entender o quanto o talento tem jogo de cintura e flexibilidade para lidar com a diversidade e as mudanças, se está preparado para a solução de crises e problemas”. Ainda segundo a profissional, também é importante que o jovem talento esteja mais preparado e antenado para conversar com o consumidor. “Não há mais uma cartilha predeterminada de skills. É importante que o talento seja uma pessoa aberta e proativa, que não fique restrita apenas ao mundo da comunicação”, finaliza. Então, com o mercado em transformação, uma nova geração de publicitários, que consegue enxergar naturalmente a propaganda atual e seus desafios, com certeza, está no caminho certo. Algumas agências do mercado apresentam seis profissionais (veja nas páginas a seguir) que ocupam posições de destaque em suas áreas de atuação e prometem fazer a diferença nas próximas décadas. Mesmo de áreas distintas, os profissionais possuem algo em comum: o desejo de realizar um bom trabalho e serem reconhecidos neste universo. “É importante que o talento seja uma pessoa aberta e proativa, que não fique restrita apenas ao mundo da comunicação” 14 31 de julho de 2017 - jornal propmark

Fotos: Divulgação Francis Alan - AlmapBBDO Mineiro de 32 anos, Francis Alan começou a carreira em Belo Horizonte, na agência New360. Em 2012, fez parte da delegação do Young Lions Brazil e ganhou o seu primeiro Leão. No mesmo ano, partiu para São Paulo e começou a trabalhar na DM9, onde ficou quatro anos e ganhou diversos prêmios. Depois disso, teve passagem pela DDB São Francisco, nos Estados Unidos, e, agora, faz parte do time criativo da AlmapBBDO. Encarar a correria do dia a dia do mercado publicitário não é uma tarefa fácil, mas Alan revela que enfrentar o papel em branco, ser bom em ideias e em execução não são seus maiores desafios. O publicitário se preocupa mesmo em manter sua essência. “Meu maior desafio é conseguir enfrentar tudo isso sem perder minha essência. Sem achar que job é mais importante que gente. Se eu perder este, não faz sentido enfrentar os outros”, afirma. Questionado se sempre quis trabalhar com criação, o publicitário responde que sim, que desde pequeno desenhava para colocar as ideias para fora e não importava onde. “Rabiscava nas carteiras da escola, pichava meu quarto e fazia tatuagem de henna e grafite. Hoje, o negócio é na agência, mas, se precisar, ainda sai uma tattoo”, revela. Para Bruno Prosperi, diretor de criação da AlmapBBDO, Alan faz parte da nova geração que consegue enxergar com naturalidade a propaganda atual. “Por mais de uma vez, vi o sorriso estampado no rosto do cliente enquanto apresentava um projeto criado por ele”, conta Prosperi. Camilla Facin - DPZ&T Antes de entrar para o time liderado pelo Chief Strategy Officer Fernando Diniz, a diretora de planejamento Camilla Facin, de 29 anos, teve passagens por agências como WMcCann, Peralta, David, F.biz e Publicis. Mas engana-se quem pensa que a profissional já começou na área de planejamento. Foi como redatora que Camilla ingressou no mundo da publicidade. “Sempre gostei de escrever, mas, depois de um tempo, percebi que gostava mais do que estava por trás. A experiência como redatora também me deixou um pouco mais crítica”, afirma. Num mercado em constante transformação, estabelecer uma nova maneira de pensar e desenvolver soluções mais personalizadas e estratégicas é o desafio de Camilla, que revela a importância de ter um olhar integral sobre todas as coisas. “A transformação é sempre positiva e obriga as pessoas a se reinventarem. Os negócios estão mudando e o planejamento tem um papel importante nesta transformação. Temos de pensar em outros formatos e quebrar as diversas caixinhas da indústria”, conclui. Para Fernando Diniz, Camilla é uma profissional aberta e não tem seu talento baseado apenas na diversidade de skills, pois ela tem noções de criação, planejamento e conteúdo de sobra. “O que acho ainda mais valioso nela é esse estado open minded em que sempre se mantém. E, acima de tudo, seu caráter e a qualidade das relações que ela cria, algo fundamental na construção de um trabalho mais orgânico numa agência”, afirma ele. Eduardo Anechine - Grey Com formação em administração de empresas pelo Mackenzie, e pós- -graduação em logística empresarial pela USP, Eduardo Anechine possui mais de dez anos de experiência na área financeira em grandes conglomerados nacionais e internacionais. Mas foi em 2014 que o profissional ingressou na publicidade, ao fazer parte do time da Grey. Para Anechine, a criatividade também permea a área financeira. “Nossos desafios em atender às demandas simultâneas, identificar e mitigar riscos, apoiar a tomada de decisão, adaptar-se ao mercado e precificar corretamente os serviços precisam ser realizados de forma inspiradora, pensando e agindo de forma criativa. Acreditamos que o cliente muito satisfeito com os nossos serviços é o nosso principal ativo para crescer da forma que esperamos”, revela. Segundo o profissional, o atual momento econômico também trouxe maiores desafios na busca para as melhores soluções. “Na crise, tudo se transforma e é onde se encontram as novas oportunidades. A pressão é por maior consistência, frequência, velocidade de entrega e diferenciação. Além dessa oferta ser mais completa e efetivar em conversão de vendas para nossos clientes”, conclui. Para Marcia Esteves, copresidente da Grey Brasil, Anechine é um gestor financeiro que entende de pessoas e comunicação. “Ele participa de nossa operação de forma ativa desde o início dos processos. Além de contribuir para que possamos buscar sempre as melhores soluções para nossos clientes do ponto de vista de investimento”, declara a executiva. jornal propmark - 31 de julho de 2017 15

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.