Views
2 months ago

edição de 3 de abril de 2017

  • Text
  • Brasil
  • Digital
  • Abril
  • Jornal
  • Mercado
  • Propmark
  • Ainda
  • Cannes
  • Publicidade
  • Anos

Mídia Nielsen testa

Mídia Nielsen testa ferramenta para medir eficiência multiplataforma Executivos globais visitaram Brasil e destacaram a importância do mercado local, que receberá TAR (Total Ad Ratings) até o fim deste mês Fotos: Alê Oliveira Theresa Brennan: “A Nielsen Brasil é um mercado crucial para nós Sjoerd Mostert, fundador e CEO global Pointlogic, que foi incorporada pela Nielsen bárbara barbosa As métricas no digital, um dos principais desafios de quem trabalha com propaganda e marketing, podem estar prestes a ganhar novo aliado. Até o fim deste mês, a Nielsen lança no Brasil a ferramenta TAR (Total Ad Rating), que pretende fornecer ao mercado uma visão detalhada de campanhas multiplataformas. Em linhas gerais, o TAR irá avaliar campanhas veiculadas em TV e no digital e fornecer dados detalhados da audiência exposta à mensagem online, na TV e impactadas em ambos os meios. O próximo passo, ainda sem data de lançamento, será incluir dados de audiência mobile. Em visita ao Brasil na semana passada, os executivos Theresa Brennan, general manager de advertiser solutions da Nielsen, e “O Brasil é um país em desenvOlvimentO, que investe muitO nOs negóciOs nO digital, área que pOr aqui está em crescimentO” Sjoerd Mostert, fundador e CEO global Pointlogic, empresa que foi incorporada pela Nielsen no ano passado, comentaram a novidade, que está sendo implementada em parceria com a GfK. “Estamos com alguns pilotos em andamento, logo vamos dividir os primeiros dados. Mas o que temos visto ao redor do mundo, inclusive no Brasil, é que a TV continua sendo a principal mídia, enquanto que o digital é mais eficiente para alcançar os consumidores mais difíceis de serem atingidos, como os jovens”, comenta Theresa. A executiva lembra ainda a importância do Brasil para os negócios da Nielsen. “A Nielsen Brasil é um mercado crucial para nós. O Brasil é um país em desenvolvimento, que investe muito nos negócios no digital, área que por aqui está em crescimento”, diz ela, acrescentando: “Estamos bem envolvidos no desenvolvimento da mensuração de digital por essa razão”. Ela salienta ainda que os esforços em digital da Nielsen são complementares ao que a empresa já faz atualmente para o meio televisão. Neste sentido, novos produtos no campo das métricas estão no radar da Nielsen. A aquisição da Pointologic, por exemplo, representa “experiência” e “softwares mais elaborados” na geração de dados, segundo Mostert. Em relação ao TAR, os dados gerados estão sendo muito aguardos no Brasil. David Eastman, diretor-geral da Pointlogic para América Latina, que recentemente foi convidado pela Nielsen para assumir a liderança da área digital no Brasil, disse que todos, agências e anunciantes, aguardam pela novidade. 46 3 de abril de 2017 - jornal propmark

curtas Alê Oliveira Divulgação Andy Hood (foto), head de emerging technologies da AKQA e presidente do júri de Mobile em Cannes neste ano, esteve no Brasil, na semana passada, e compartilhou com a agência e clientes formatos possíveis para “navegar” por meio das experiências tecnológicas. Em 1999, Hood montou um time de pesquisa criativa e desenvolvimento e o lidera até hoje. Ele tem coordenado o desenvolvimento da maior parte das inovações da AKQA sobre carros conectados, dual-screening, realidade virtual e inteligência artificial e foram esses temas que o executivo exemplificou em sua apresentação. “Em 2020, 85% da interação no varejo vai ser gerenciada pela inteligência artificial”, diz Hood. O criativo apresentou alguns cases da AKQA, como uma quadra de basquete e um show de música pop gerados por inteligência artificial. Em contraste, mostrou como a ficção usa a tecnologias, exemplificado com o filme Morgan. O executivo ainda sugeriu aplicar as tecnologias pensando se elas são úteis, acessíveis, humanas e convenientes. Divulgação As cores imaginárias estão em um filme totalmente apresentado com fotos em preto e branco na nova campanha da câmera M-Monochrom (Typ 246), da Leica. “No mundo colorido, não há espaço para o sonho ou devaneio. As cores mandam, os olhos obedecem...”, ouve-se no início da locução do comercial, que traz o forte conceito Liberte-se das cores. Com criação da F/Nazca Saatchi & Saatchi, a campanha para a câmera digital, que só faz fotos em P&B, também conta com três spots para rádio. Além do Brasil, poderá ser vista na França e Alemanha. A circulação de Veja cresceu 7,8% em janeiro deste ano ante o mesmo mês de 2016, passando da média de 1.118.085 exemplares para 1.205.086. Segundo dados da Abril, trata-se da maior circulação da revista nos últimos dois anos. Em janeiro de 2017, a revista já tinha registrado aumento de 48% de sua receita de publicidade e o recorde de audiência em seu site, com 23,2 milhões de visitantes únicos, um crescimento de 142%. Renata Serafim, na foto com Marcio Oliveira, CEO e sócio da Lew’Lara\TBWA, acaba de assumir o cargo de CSO da agência. A profissional, que vem da Talent Marcel, passa a comandar a equipe de planejamento. “Renata é uma profissional que dispensa apresentações. Ela, que vem de uma escola supersólida com Julio Ribeiro, Cecilia Novaes e Marlene Bregmann, chega para desenvolver ainda mais a força que a agência já possui em pensamento estratégico e disruptivo. Ela é premiadíssima e, com certeza, vai voar alto aqui!”, fala Oliveira. A guerra entre a Simba, dos canais SBT, RedeTV! e RecordTV, e as operadoras de TV paga continua. No último dia 29, quando o sinal analógico em São Paulo foi encerrado, as emissoras desligaram as transmissões por entenderem que devem ser remuneradas pela Sky, NET, Vivo, Oi e Claro. Só a Vivo entrou em acordo. jornal propmark - 3 de abril de 2017 47

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.