Views
1 year ago

edição de 29 de fevereiro de 2016

  • Text
  • Jornal
  • Marcas
  • Brasil
  • Propmark
  • Fevereiro
  • Mercado
  • Paulo
  • Anos
  • Marketing
  • Diretor

digiTal Tecnologias não

digiTal Tecnologias não mudam a essência das pessoas Executivos discutem estratégias inovadoras de marketing em evento do WTC Business Club Cristiane Marsola Divulgação s consumidores muda- as pessoas não”. Es- “Oram, ta é a conclusão apresentada por Mario D’Andrea, presidente da Dentsu Brasil, durante o evento Estratégias Inovadoras de Marketing: Como Se Reinventar em 2016?, realizado no último dia 23 pelo WTC Business Club, plataforma de relacionamento da rede World Trade Center. O publicitário falou a respeito das mudanças que o mercado tem passado com a chegada do digital, mas defendeu que o ser humano continua com a mesma essência: as pessoas estão preocupadas com emoções, sonhos e comportamentos. “Os medos e os sonhos do meu filho de 30, que agora vai ser pai pela primeira vez, a tremedeira nas pernas dele quando recebeu a notícia é exatamente igual à que eu senti quando, aos 25, soube que ia ser pai pela primeira vez”, complementou. Para o publicitário, nós estamos diante de uma mudança importante de paradigma. Para ilustrar, ele apresentou uma foto em que aparece com os seus pais, quando ainda era um bebê, mostrando como exemplo das relações do passado. Em seguida, ele exibiu outra imagem, atual, 50 anos após a primeira, em que os três estão cada um com seu smartphone. “A relação das pessoas mudou, está colocada na palma da mão. A revolução digital é mais importante e mais rápida do que a revolução industrial. Pela velocidade e pela mudança de conceito. Uma indústria era feita de linha de produção, de operários, de depósitos, de distribuição de produtos. Esse modelo digital de economia está acabando com isso”, falou. Segundo D’Andrea, um erro das marcas é acreditar que as pessoas estão interessadas nelas. “As pessoas não estão interessadas no que as marcas vão falar. Mario D’Andrea: “as pessoas não estão interessadas no que as marcas vão falar” As marcas falam achando que o mundo quer saber o que elas têm para dizer, mas ninguém é assim. Precisa ter certa humildade para dizer que o que eu faço não é tão importante quanto acho. Quando a marca saca isso, ela começa a lidar sob o ponto de vista do consumidor. É você o assunto, não sou eu”, afirmou. O publicitário defendeu que a inovação é apenas uma ponte e as marcas devem saber usá-la. “Você sai de um lugar e vai para outro. Você nem se toca da quantidade de tecnologia que é usada para fazer as pontes. Inovação é ligar o consumidor à marca”, contou. Como exemplo da forma de colocar em prática o uso da inovação para conectar pessoas e marcas, D’Andrea apresentou cases 100% digitais desenvolvidos pela Dentsu, como a criação de um autorama movido pela força do pensamento para divulgar o Toyota Prius, carro movido por energia híbrida, e uma ação emocionante para divulgar Canon no Dia das Mães. A campanha, feita com personagens reais, alavancou em 470% as vendas pelo e- -commerce da marca. O encontro do WTC Business Club também contou com a apresentação do diretor de vendas da IBM Commerce no Brasil, Nelson Shishito, e do presidente do UFC Brasil, Giovani Decker. “Um evento como este é muito bacana porque, primeiro, traz uma visão de tecnologia para a área de marketing e, com empresas tão diferentes, a descrição fica rica e traz assunto para a pauta deste ano: se reinventar”, comenta Raphael Emerick, diretor-comercial e de marketing do WTC Business Club. O debate começou com a apresentação de Shishito, que apontou cinco tendências do marketing digital: personalização, engajamento, dispositivos móveis, vídeos e agregação de valor a e-mails transacionais. Para exemplificar, o executivo contou um caso pessoal em que teve uma experiência ruim. Por meio do site do fabricante, ele não conseguiu decidir pela compra do produto que procurava. “A empresa não fornece informação relevante para eu poder tomar a decisão. Se isso ocorre, tem algo muito errado na estratégia digital dele. As pessoas não estão tomando decisão porque elas vão no seu site, mas porque vão ao YouTube procurar e lá tem um blogueiro que fala sobre o produto. E se a nossa estratégia de marketing não incorporar isso, estamos deixando a estratégia na mão de alguém que coloca informação no mercado”, disse o executivo. A última palestra do evento foi de Decker, que mostrou como está construindo no Brasil a marca do segundo esporte preferido dos brasileiros no país. Uma das atitudes do executivo à frente da marca foi reduzir o número de eventos por aqui, mas melhorar a experiência. “A gente trouxe glamour para o UFC. Queremos nos aproximar do que é a Fórmula 1”, falou. 74 29 de fevereiro de 2016 - jornal propmark

curtas Fotos: Marçal Neto e Divulgação A Rapp Brasil decidiu enfrentar a crise com investimento em mudanças para tentar oferecer mais resultados a seus clientes. A agência anunciou uma alteração no modelo de gestão e a criação de uma área de negócios com foco em vendas. Na nova configuração, a Rapp Brasil passa a ter dois copresidentes: André Pasquali (à esquerda), que acumula o cargo de VP de criação e planejamento, e Ricardo Pomeranz (à direita), que ainda é também chief digital officer. Os dois continuam a se reportar a Abaetê Azevedo (no centro), sócio-fundador e CEO da agência. “A motivação disso é a complexidade do ano e a vontade da Rapp Brasil de investir contra a crise. Nós fizemos isso em 1999, quando a moeda mudou ainda mais dramaticamente, e deu certo”, fala Abaetê. A agência ainda criou uma nova unidade de negócios, a eComm, que fica sob responsabilidade do VP Marcos Bittencourt, até então VP de Atendimento. No lugar dele, Tatiana Pacheco, que está na agência há 15 anos, assume o atendimento. Para a criação da área, foram investidos R$ 1,2 milhão. Com a alteração no organograma, o CFO Gilson Silva também acumula o cargo de COO, completando o trio de áreas abaixo dos copresidentes. Ousadia e inovação. Com as duas bandeiras em mente, o Grupo Famiglia Zanlorenzi inaugura uma categoria de produto no mercado brasileiro. “Estamos lançando o conceito de refeição líquida”, conta o diretor-comercial da empresa, Teodosio Piedrahita (à direita). Um dos produtos é o Deu Fome Simmm!, um suco snack em embalagem Tetra Pak, apresentado como uma opção saudável e prática de lanche intermediário entre as refeições principais. O outro lançamento é o Suco Campo Largo Kids, um mix de frutas e vegetais voltado para crianças, sem concorrentes diretos no mercado nacional. Com investimento de R$ 1 milhão, após diversas pesquisas com consumidores, foram lançadas duas versões, o Mix do Campo e o Mix da Terra, composto por maçã, morango, uva, beterraba e cenoura. “Queríamos desenvolver um suco prático, saudável e divertido para os filhos e feito para o dia a dia de quem não tem tempo. Um produto que colaborasse com o desafio diário de pais e mães que querem incentivar os filhos ao difícil hábito de consumir frutas e vegetais”, explica o presidente do grupo, Giorgeo Cruif Zanlorenzi (à esquerda). O Movimento 100 Open Startups, que conecta pessoas e instituições em torno de programas de inovação aberta, divulgou na última semana, durante a 8ª Open Innovation Week, em São Paulo, a lista das dez startups brasileiras mais promissoras. Elas foram selecionadas a partir da avaliação de grandes fundos de investimento e são Lean Survey (SP), Beenoculus (PR), Nexxto (SP), Reachr (SP), Prosumir (SC), Storymax (SP), Omnize (SP), Dr Cuco (SC), Nama (SP) e Virtual Care (SP), da primeira para a décima. Esses dez nomes foram selecionados a partir de um grupo de cem nomes, definido em etapa anterior, com base na capacidade de cada startup em se conectar com as 50 grandes empresas participantes do movimento. O objetivo do encontro, segundo Bruno Rondani (foto ao lado), investidor e mentor do Movimento 100 Open Startups, era justamente discutir “novos conceitos e práticas sobre como startups podem contar com o apoio de grandes empresas para viabilizarem sua inovação e como grandes empresas podem se beneficiar do crescente movimento de startups para serem mais inovadoras”. Maurício Jacob (foto ao lado) é o novo diretor da área comercial da Vevo no Brasil. Jacob será responsável por liderar os executivos e ampliar o portfólio de atuação da plataforma de video streaming. Ele tem 20 anos de experiência no mercado com foco em vendas e marketing e ficou quase 13 anos à frente da área de publicidade e promoções da The Walt Disney Company. Além da mídia tradicional, ele tem expertise em marketing digital, licenciamento promocional, social media e mídia digital. O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu processo e vai julgar a campanha da Pepsi Twist, que promoveu a volta dos limões falantes e colocou os personagens criticando sarcasticamente a onda politicamente correta. O filme O mundo tá chato, apesar de elogiado por muitos, foi considerado negativo por outros nas redes sociais. O órgão recebeu 50 denúncias acusando a peça de desmerecer as minorias. A decisão deve ser tomada nas próximas semanas. jornal propmark - 29 de fevereiro de 2016 75

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.