Views
4 months ago

edição de 25 de janeiro de 2016

  • Text
  • Paulo
  • Cidade
  • Janeiro
  • Propmark
  • Jornal
  • Marca
  • Anos
  • Brasil
  • Campanha
  • Marketing

proDutoras Dreambox se

proDutoras Dreambox se diferencia no mercado digital por oferecer filme e música Empresa, que produz tanto vídeo como trilhas para publicidade, afirma que 2015 foi o seu melhor ano e a expectativa para 2016 é crescer 20% KELLY DORES Não é comum, mas pode ser considerada uma vantagem competitiva quando uma mesma produtora cuida tanto da imagem como do som de um filme publicitário. Esse é o caso da Dreambox, produtora especializada em formatos digitais fundada em 2011 pelos irmãos Daniel e Guilherme Picolo, cineasta e músico, respectivamente. “Desde o início, a gente reuniu as nossas especialidades e o nosso core business virou filme e música. Acaba sendo o nosso diferencial”, conta Guilherme. A Unilever foi o primeiro grande cliente em publicidade digital. “Pegamos uma sequência grande dedeos da plataforma Recepedia, da Unilever, que a gente faz até hoje”, lembra Guilherme. Eles citam que branded content, webséries e o uso de influenciadores nos filmes têm sido os trabalhos realizados com mais frequência. Daniel afirma que outro diferencial da produtora é o preço, possível graças a sua estrutura reduzida – a produtora possui atualmente 11 funcionários fixos e trabalha com diretores freelancers. “Os nossos preços são muito adequados ao meio digital. A gente não pede orçamentos milionários, a gente pede orçamentos que são 50% mais baratos. A nossa equipe é menor, a gente só trabalha com jovens. É um diferencial poder oferecer o filme, com um tratamento de áudio e uma trilha original, que é supercara”. Para os sócios, o processo tende a ser mais assertivo. “Em geral, criamos tanto o áudio quanto a trilha para um mesmo trabalho. Até mesmo quando o cliente não pede, a gente faz. Grande parte dos clientes não entende, por isso que o nosso conceito é filme e música”, destaca Guilherme. “Mas ainda Fotos: Divulgação Os irmãos e sócios da Dreambox Guilherme e Daniel Picolo: preços mais adequados temos de trabalhar a cabeça dos clientes para eles entenderem que fazemos os dois. Às vezes, é necessário que eles vejam a nossa estrutura, que temos os dois estúdios no mesmo local”. Daniel afirma que 2015 foi o melhor ano da Dreambox, apesar da crise. “O ano foi bom para a publicidade digital”. A produtora cresceu 16% e conquistou clientes como a DM9DDB, com quem assinou a produção de imagem e som para a websérie Collections, para a Tok&Stok. Foram nove minidocumentários que retrataram o processo criativo de artistas parceiros da loja de decoração, como o cartunista Mauricio de Sousa. A Dreambox também trabalha em parceria com as agências Riot e CuboCC e já atendeu clientes como Unilever, P&G, BRFoods, Renault, Pepsi, Cielo e Mapfre. Para 2016, a expectativa de crescimento é de 20%. Em parceria com a DM9, empresa assinou produção da websérie Collections, para Tok&Stok, com participação de Mauricio de Sousa 38 25 de janeiro de 2016 - jornal propmark

prOduTOraS Divulgação Oficina posiciona conteúdos da TV Santander com tom jornalístico Apresentação é de Daniel Daibem e a programação é exibida em monitores das agências e postos no país Com a apresentação do radialista Daniel Daibem (à esq.), programação tem conteúdo eclético Paulo Macedo Com o objetivo de fortalecer o relacionamento entre seus stakeholders internos e externos, o Banco Santander investe em novas narrativas para a programação do seu canal corporativo, que é transmitido internamente para sua rede de aproximadamente cinco mil agências e postos de serviço em todo o país. A produção é assinada pela Oficina, com direção de cena de Guilherme Rampazo. Uma das preocupações é com a forma de abordagem, para que a compreensão seja fluente na diversidade cultural e dos comportamentos regionais brasileiros. O âncora do projeto é o músico e radialista Daniel Daibem, que faz visitas a alguns dos principais clientes da instituição fi- nanceira para mostrar dados e curiosidades, como foi feito na reportagem na fábrica da aguardente Ypioca, por exemplo. Cada programa tem duração de 10 minutos. “Dar continuidade a uma ação com o Santander, que é tão respeitado e bem-sucedido no mercado financeiro, é sinal de resultado alcançado. Conseguimos aliar boas ideias por meio da linguagem audiovisual dos episódios, ajudando na relação entre a empresa e seus clientes e funcionários”, disse Nelson Enohata, diretor de criação e sócio da produtora, que é especialista em projetos audiovisuais para branded content em diversos formatos – desde televisão até internet. “Especialmente nesse trabalho, todos os envolvidos estão bastante alinhados com os objetivos da estratégia da “Conseguimos aliar boas ideias por meio da linguagem audiovisual dos episódios, ajudando na relação entre a empresa e seus Clientes e funCionários” nova cultura do banco. Isso tem sido essencial para o excelente resultado final atingido em cada edição. Conseguimos atender às expectativas do cliente, produzindo sempre com eficiência e qualidade”, acrescenta. O sócio da Oficina Produções explica que investe na integração de profissionais de diferentes formações durante o processo criativo, para que a somatória dessas experiências seja capaz de proporcionar um resultado inovador no storytelling. “Isso facilita prever o certo e o errado no audiovisual”. Foi a experiência da Oficina em branded content que trouxe para a produtora a conta do Banco Santander. “Nós temos orgulho em representá-lo por mais de cinco anos nas produções da TV corporativa, que agora está com novo formato”, finaliza Enohata. jornal propmark - 25 de janeiro de 2016 39

PROPMARK

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.