Views
4 months ago

edição de 25 de janeiro de 2016

  • Text
  • Paulo
  • Cidade
  • Janeiro
  • Propmark
  • Jornal
  • Marca
  • Anos
  • Brasil
  • Campanha
  • Marketing

Mercado Marcas

Mercado Marcas de chocolate lançam 147 novidades para a Páscoa A crise econômica incentiva empresas a desenvolverem ovos de baixo custo, para tentar manter o mesmo nível de vendas do ano anterior Fotos: Divulgação Nestlé também aposta na legião de seguidores de Star Wars e lança linha exclusiva que remete ao famoso filme Entre os lançamentos da Nestlé está o Moça Doce de Leite Colher, que tem menor preço AnA PAulA Jung Para estimular o consumo de ovos de Páscoa, a Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados) apresentou 147 novidades na semana passada, em São Paulo. A expectativa do setor é manter o mesmo resultado do ano passado, em função da atual conjuntura econômica. A aposta para atingir o mesmo desempenho é oferecer diversas opções para todos os bolsos e gostos. Na Páscoa de 2015, foram comercializadas 19,7 mil toneladas de chocolate, o que correspondeu a cerca de 80 milhões de ovos de Páscoa. Segundo o vice-presidente de chocolate da Abicab, Ubiracy Fonseca, o resultado ficou estável se comparado ao ano de 2014. “Esperamos ter o mesmo desempenho em 2016. No atual cenário não vai haver crescimento”, adianta. Ele afirma ainda que o setor vai produzir 100 milhões de ovos. A tendência para este ano é que o consumidor opte por ovos de menor tamanho para caber no orçamento. “Este ano as pessoas vão presentear com produtos de menor preço. Opção é o que não falta”. Já para a Nestlé, segundo André Laporta, gerente de marketing da empresa, a expectativa para este é muito boa. Baseada em dados de pesquisas, que têm apontado que o consumidor em momentos econômicos mais sensíveis poupa nos itens básicos, mas não nos que lhe proporcionam momentos de prazer, os considerados pequenos “mimos”, a marca acredita que o resultado seja bom. Como a Páscoa tem essa característica, a marca investiu num portfólio amplo e variado. A linha Nestlé conta com ovos que utilizam a nova fórmula de chocolate ao leite, com mais leite e com textura mais cremosa. Uma das novidades está direcionada para a legião de seguidores de Star Wars. O ovo vem com opções Kylo Ren e Stormtrooper. Entre os lançamentos da marca estão desde o Moça Doce de Leite Colher até os coelhos de chocolate Alpino e Galak, para quem pretende dar presentes com baixo custo. A empresa também investiu forte em materiais e layout diferenciado para ajudar o consumidor a ter uma experiência de compra mais simples e positiva. “Teremos ilhas extras e sinalizadores nas parreiras para ajudar na escolha e também investimos em um treinamento detalhado de nossos representantes, para auxiliar o consumidor em todas as suas necessidades no PDV. Para ter uma ideia contratamos cerca de 6 mil promotores ao todo”, diz Laporta. O Grupo CRM, detentor das marcas Kopenhagen, com 351 lojas, e Chocolates Brasil Cacau, com 533 lojas, espera faturar R$ 1,3 bilhão em 2016, considerando a somatória das vendas da fábrica e das lojas. “A Páscoa é sempre uma data muito importante para o Grupo CRM, em função da representatividade das vendas, lançamentos de produtos diferenciados, conquista de novos clientes e fidelização daqueles que são fiéis às nossas marcas, pois reconhecem nossos atributos. Em 2016, não será diferente”, estima Renata Moraes Vichi, vice-presidente executiva do grupo. As vendas do período representam 29% do faturamento anual da marca Kopenhagen. Para a Chocolates Brasil Cacau, as vendas são ainda mais representativas. No mesmo período, a marca conquista 31% das vendas do ano. 14 25 de janeiro de 2016 - jornal propmark

mErCado Executivo deixa a Publicis e se associa à consultoria Connect Partners João Fernando Vassão assume desafio em assessoria da área de fusões e aquisições, ao lado de Camille El-Khouri e André Gouvinhas Divulgação Vassão: convite para mudar de área foi feito em um momento inesperado, mas de forma irrecusável BÁRBARA BARBOSA Com 28 anos de mercado publicitário, sendo os últimos cinco no Publicis Group e os últimos dois como Chief Strategy Officer da Publicis Worldwide Brasil, João Fernando Vassão acaba de anunciar sua saída da rede de agências. O motivo é encarar um novo desafio, agora como sócio da Connect Partners, boutique de assessoria em fusões e aquisições lançada em São Paulo, há dois anos. “Meu desafio é começar de novo. Já vivi isso quando vendi minha agência para a Publicis (a GP7, que tinha o grupo de turismo CVC como principal cliente, em 2011). Sempre gosto de subir o sarrafo e é uma sensação muito boa: você aprende e estuda um novo setor”, comenta. Vassão, que também já teve passagens importantes por outras agências, como Lew’Lara\ TBWA e Fischer, conta que já vi- nha sendo sondado para o novo posto há algum tempo e terá como sócios na Connect os executivos Camille El-Khouri e André D. Gouvinhas, especialistas em M&A (fusões e aquisições). “Aconteceu até em um momento inesperado. Estava na Publicis há cinco anos, superfeliz com o modelo que se tornou, trabalhando com parceiros como Edu Simon, José Eustachio, Hugo Rodrigues e Paulo Giovanni. Mas, honestamente, quando você tem uma proposta de mudança radical na vida e recebe apoio de muita gente, de amigos e até ex-clientes, que foi o que ocorreu, é preciso aceitar”, diz. “Vi que podia colaborar muito nesse mercado de M&A, especialmente na questão da visão. Já trabalhei com 38 setores diferentes nesses anos de publicidade, adquiri uma visão grande de economia”, explica. Por questões de confidencialidade, o mercado de M&A e a “Vi que podia colaborar muito nesse mercado de m&a, especialmente na questão da Visão. Já trabalhei com 38 setores diferentes nesses anos de publicidade” Connect Partners não revelam quem são os clientes, mas Vassão adianta que a empresa já realizou, desde sua fundação, transações em vários setores, como energias, telecomunicações, infraestrutura e até publicidade. “Basicamente buscamos oferecer assessoria para as empresas verem que tipo de investidores elas precisam. Nossa missão é aconselhar as empresas sobre que tipo de negócios elas devem desenhar. É um trabalho bem estratégico”, comenta. Em comunicado, Paulo Giovanni, chairman da Publicis Worldwide no Brasil, ressaltou a importância de Vassão na estruturação da holding no país. “Implementamos uma série de medidas para o fortalecimento da AG2 Nurun, DPZ&T, Publicis Brasil e Talent Marcel nesse tempo e o Vassão nos ajudou enormemente durante todo o processo. Agradeço a ele pelo apoio e desejo sucesso na nova empreitada”, afirmou. jornal propmark - 25 de janeiro de 2016 15

PROPMARK

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.