Views
2 months ago

edição de 25 de abril de 2016

  • Text
  • Brasil
  • Marketing
  • Digital
  • Propmark
  • Abril
  • Lions
  • Mercado
  • Jornal
  • Marcas
  • Ainda

conexões NOVO PROPMARK

conexões NOVO PROPMARK “Parabéns pela mudança gráfica do PROPMARK. Cada vez mais bonito!” Antonella Sartori São Paulo - SP INSPIRAÇÃO “Respondendo à mesma pergunta feita à cineasta Paula Trabulsi, na seção Inspiração (edição 2592), o que me inspira são espaços como esse, nos quais se pode falar sobre o que nos faz ser nós mesmos e molda nosso trabalho.” Camila Caron São Paulo - SP ÚLTIMA PÁGINA “Muito interessante e pertinente a análise da jornalista Claudia Penteado na coluna Última Página, intitulada Quanto vale nossa privacidade? (edição 2592), sobre o valor da nossa privacidade. Realmente é importante trazer à tona o debate, ou ao menos a reflexão, sobre o paralelo envolvendo marcas e o uso de dados em prol de uma comunicação mais direta com os consumidores: conforto (maior personalização) ou invasão de privacidade (vazamento de informações)? Como se sentem as pessoas que recebem estas mensagens? A pauta rende... ” Fernanda Lopes Diretora de comunicação corporativa da LBTM São Paulo - SP OPINIÃO “Excelente o artigo de Marcos Cobra sobre quociente espiritual (QS), intitulado Inteligência espiritual como um diferencial (edição 2592). Deveríamos aprender a usá-lo melhor para solucionar problemas de sentido e de valor.” Beatriz Lorente São Paulo - SP PÚBLICO “Apoio pesquisas como a do Data Popular (na reportagem Brasileiros com mais de 50 anos movimentam R$ 1,58 trilhão, edição 2592). Passou da hora de as marcas voltarem a atenção ao público mais velho.” Renato Vizacri São Caetano - SP última Hora REALIDADE VIRTUAL A Sentimental Filme vai participar do Rio Content Market, no próximo dia 28, com a palestra Como será a construção das narrativas na realidade virtual. MÚSICA O Festival de Cannes está disposto a integrar mais as indústrias da música e da publicidade. Além da criação do evento paralelo Lions Entertainment, a competição terá atrações envolvendo músicos reconhecidos. Uma delas é a palestra de Iggy Pop, cantor que desde os anos 1970 é símbolo do estilo punk rock e já apareceu diversas vezes em campanhas de grandes marcas. Outros dorinHo nomes conectados com música que estarão no festival deste ano são Kelly Merryman, vice- -presidente de conteúdo do YouTube; Jared Gutstadt, fundador e presidente da empresa Jingle Punks; o produtor Timbaland, vencedor de diversos Grammy; Lucien Boyer, chefe de marketing da Vivendi; e Fred Bolza, vice-presidente da Sony. PERFORMANCE O Grupo RBS divulgou semana passada os resultados de 2015 de suas principais empresas. O faturamento consolidado, soma das holdings RBS Mídias, Digital e Participações S/A e RBS TV Comunicações S/A, foi de R$ 1,4 bilhão. Facebook Post: Esporte Interativo transmitirá o Brasileirão a partir de 2019 “Notícia importante para os clubes.” Agência Capella Post: NBS e Posterscope criam painel que atrai e mata Aedes Aegypti “Iniciativa muito bacana.” Luiz Santos mulheres terem a liberdade de tempo para cuidarem da maternidade, enquanto trabalham numa agência, é sendo o CEO.” Leão de Bronze Post: Veja circula com edição antecipada sobre crise política “Vindo dessa revista, é deboche! O interesse da Veja é outro - financeiro e publicitário - só!” Marcos F. Disqus (comentários no site de 16 a 22 de abril) Post: Flora e Fischer criam shampoo embalado em garrafa de cerveja “Adorei o vídeo para publicidade. Tão bom e engraçado quanto o da linha For Man. Mas quero saber onde comprar.” Priscila Ribeiro Post: “50% dos CEOs do mundo deveriam ser mulheres”, diz Martin Sorrell “Até porque o único modo de as Post: Usuários de serviço de streaming ouvem música enquanto realizam outras atividades “Sério? Pensei que os usuários ficassem parados, em posição de lótus, só ouvindo a música.” Leão de Bronze Post: Africa desenvolve projeto para série de livros infantis do Itaú “Tão lindo ler um livro dentro do Facebook.” Leão de Bronze 6 25 de abril de 2016 - jornal propmark

MercAdo Anatel suspende início da internet limitada na banda larga fixa Publicação no Diário Oficial traz quatro condições que empresas precisarão cumprir antes de começar a cobrar por franquia Claudia Penteado fantasma da internet limitada foi suspenso, mas se tor- O nará praxe na banda larga fixa brasileira depois que as empresas cumprirem quatro condições publicadas no Diário Oficial da União, no dia 18, pela Superintendência de Relações com Consumidores da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Tudo começou com o anúncio da decisão das operadoras de colocarem limite de dados nos planos de internet, a exemplo do que já ocorre nos celulares. A medida causou protestos entre os consumidores. A Vivo, por exemplo, anunciou mudanças a partir deste mês, e terá de suspender a cobrança até se adequar. De acordo com a resolução da Anatel, para poder cobrar pela franquia de consumo de internet as operadoras deverão cumprir quatro condições que giram, essencialmente, em torno da garantia de transparência de informações junto aos consumidores. A primeira delas é permitir que os consumidores consigam acompanhar o consumo do serviço, identificar seu perfil, ter histórico detalhado da utilização e serem notificados quando se aproximar o fim de suas franquias, além de conseguirem comparar preços. Em segundo lugar, a operadora deve comunicar aos clientes a existência dessas ferramentas. O terceiro ponto é divulgar a existência das franquias. Por último, as empresas devem treinar seus funcionários nos diversos canais de contato com o cliente para que eles possam prestar esclarecimentos sobre os contratos. O texto ainda fala que a prática só poderá ser adotada 90 dias após publicação da Anatel no Diário Oficial da União reconhecendo o cumprimento das condições. As operadoras que não obedecerem a determinação pagarão multa diária de R$ 150 mil, até o limite de R$ 10 milhões. Empresas de telecomunicação terão de se adequar a algumas regras da Anatel para poder limitar a internet fixa João Rezende, presidente da Anatel, afirmou, no encontro em que comunicou as decisões da agência reguladora, que a era da internet ilimitada acabou. Segundo ele, não há mais possibilidade para que as operadoras de banda larga fixa ofereçam serviços sem uma limitação, o que obrigará o segmento a migrar para o modelo de franquias, semelhante aos serviços de internet móvel. Uma fonte do mercado, que preferiu não se identificar, afirmou que a crença de que o Estado é capaz de regular o mercado melhor do que a livre concorrência é o que atrapalha o desenvolvimento do segmento de telefonia no país. Segundo a fonte do PROPMARK, todas as experiências no mundo apontam na direção contrária da regulamentação e limitação. Mesmo que a Anatel tenha atuado contra a medida, que, na prática, prejudica os consumidores, suas regras impedem a entrada de novos players no mercado. Basta levar em conta o quanto o Brasil está atrasado em penetração de internet fixa nos domicílios. Piotr Wawrzyniuk/Shutterstock “Existe no Brasil uma cartelização das empresas de telecom, protegidas da concorrência pelo Estado, via Anatel, com forte regulamentação e grandes barreiras de entrada para novos players no mercado. Olhando de forma isolada, permitir que as operadoras cobrem por pacote de dados para o serviço de internet fixa é ruim. Entretanto, a melhor maneira de gerar inovação, melhores serviços e menores preços é ter mais concorrência, mais liberdade, menos barreiras de entrada e menos regulamentação”, comenta a fonte do PROPMARK. Consultada, a Oi enviou um posicionamento oficial no qual informa que atualmente não pratica redução de velocidade ou interrupção da navegação após o fim da franquia de dados de seus clientes de banda larga fixa. “O serviço de banda larga da Oi possui um limite de consumo de dados mensal, proporcional à velocidade contratada e informado no regulamento da oferta”, disse. Da mesma forma, a NET declarou que “não houve qualquer alteração nas políticas e características dos planos de banda larga fixa por ela comercializados, desde o seu lançamento. O serviço está em total conformidade com todas as obrigações e regulamentos do setor e atenderá também todas as disposições da cautelar da Anatel”, afirma a empresa, em comunicado, lembrando que a NET sempre praticou a venda de pacotes com diferentes franquias – de 30 MB a 500 MB. A TIM também respondeu ao pedido de comentário do PROP- MARK com um posicionamento oficial que diz: “a TIM preza pela liberdade e experiência de navegação de seus clientes de ultrainternet fixa. Por isso, a empresa não comercializa planos com franquia mensal de dados limitada do serviço TIM Live e não prevê mudanças nas ofertas atuais. Os planos são disponibilizados de acordo com a velocidade de conexão (de 35 Mega a 1 Giga de velocidade) e com navegação livre, devido à rede de alta qualidade e à tecnologia inovadora da operadora”. Vivo e Claro não retornaram até o fechamento da edição. jornal propmark - 25 de abril de 2016 7

PROPMARK

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.