Views
1 week ago

edição de 25 de abril de 2016

  • Text
  • Brasil
  • Marketing
  • Digital
  • Propmark
  • Abril
  • Lions
  • Mercado
  • Jornal
  • Marcas
  • Ainda

digital Relevância para

digital Relevância para os dispositivos móveis é tendência Projetos de comunicação das marcas precisam estar integrados e não ter divisão entre on e offline Fotos: Divulgação AnA PAulA Jung Na comunicação digital a palavra de ordem é “ser relevante”. Na opinião de Fernando Taralli, presidente da agência VML, a comunicação online assumiu um papel primordial e deixou de ser meio para ser o ecossistema. “Nossos clientes já compactuam da visão correta do digital. Entendem que vivem em um mundo digital e seus serviços e produtos terão de evoluir neste novo ambiente”, comenta. Em diferentes telas e plataformas, a audiência de meios on e offline não é mais dividida em públicos separados. Os projetos de comunicação são totalmente integrados. Eduardo Becker, diretor da área de comercialização de mídias digitais da Globo, acredita que este é o ano em que a compreensão da jornada do consumidor será fundamental para marcas que queiram se diferenciar no mercado. “Cada vez mais, precisamos ter em mente que todas as pessoas são consumidoras de conteúdo e o fazem, no decorrer do dia, em diferentes telas e plataformas”, diz. A Globo, já há algum tempo, está criando projetos de conteúdo integrado que dialogam com a experiência da TV e do digital, fazendo com que tanto o conteúdo quanto as ofertas comerciais acompanhem a jornada do consumidor, buscando sinergia para a criação de soluções integradas para os anunciantes. Trabalho, estudo, entretenimento, compras, pesquisas e várias ações do dia a dia são realizados por meio de dispositivos móveis, de qualquer lugar e a qualquer momento. De acordo com a comScore, são 107 milhões de pessoas com acesso à internet. E desse total, 102 mi- lhões estão no Facebook todos os meses, com mais de 90% delas ativas na plataforma por meio de um dispositivo móvel. Isso dá à rede social a oportunidade de entender o que as pessoas querem, o que as interessa, o que consomem e, principalmente, como oferecer o que elas buscam sem dispersão, já que o celular é a tela mais pessoal que existe. O Facebook é o destino preferido dos internautas brasileiros, já que um em cada cinco minutos gastos na rede mundial são nesta plataforma. Axeu Beluca, diretor de marketing da Gazeta do Povo Jornais, fala que as redes sociais são ferramentas de relacionamento que dão uma voz mais humana para as marcas. “Nossa aposta é estar presente onde nossos leitores estiverem para levar a melhor informação e serviço, adequar a linguagem e ampliar o alcance”, diz Beluca. Greta Paz, CEO e fundadora da MPQuatro, divide a comunicação digital em quatro tendências: branded content, mídia programática, User Experience e Data Science. “Cada vez mais os conceitos de UX passam a ser melhor entendidos e diferencia-se os bons e maus projetos de plataformas interativas”, comenta Greta. Na visão de Lucas Burza, sócio-fundador da Agência Linka, inteligência artificial é o futuro. “Automação de marketing - softwares que gerenciam de forma personalizada e escalável quem interage com marcas e empresas - é a tendência”, aponta. “Com a convergência das disciplinas de engenharia, mídia, marketing e BI, utiliza-se o comportamento e o perfil do consumidor para que as marcas estejam presentes no momento certo, com a comunicação certa”, afirma Aryel Tupinambá, Greta: branded content, mídia programática, User Experience e Data Science são futuro Eduardo Becker: “pessoas são consumidoras em diferentes telas e plataformas” CTO da LQDI. Mitikazu Lisboa, CEO da Hive Digital Media, concorda. Para ele, em um futuro próximo, o jeito de se fazer marketing será influenciado pela internet das coisas e automação de marketing. “A relevância não será mais dependente da mensagem e, sim, do contexto”, diz. Os formatos imersivos, como vídeos e a realidade virtual, cativam as pessoas com suas formas mais profundas de contar uma história. Para Fabiana Gabriel, gerente de mídias digitais do GNT, 2016 é o ano do vídeo, do ao vivo e do mobile. “Mas é preciso estar consciente que não basta estar ao vivo em vídeo no mobile, é preciso, ainda (e sempre será) trazer conteúdo na mensagem, ser relevante”, opina Fabiana. 36 25 de abril de 2016 - jornal propmark

O que a GlObO.cOm tem para encOntrar sOluções de cOnteúdO para a sua marca? uma GlObO inteira. SOLUÇÃO COM CONTEÚDO.

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.