Views
2 months ago

edição de 24 de julho de 2017

  • Text
  • Marca
  • Brasil
  • Julho
  • Mercado
  • Propmark
  • Jornal
  • Anos
  • Marketing
  • Mundo
  • Diretor

AgênciAs Alê Oliveira

AgênciAs Alê Oliveira Da esq. para a dir., Gabriel Borges, o GB, Pedro Cabral, Fred Siqueira, André Chueri, Douglas Bocalão e Alexandre Hohagen, sócio da Ampfy e CEO da Nobox Miami Ampfy quer ser hacker marketing para monitorar seus clientes Conceito tem por objetivo estar antenada com as necessidades de comunicação em tempo real e funcionar como hub de criatividade Paulo Macedo Considerado um hub de criatividade, por reunir agências de publicidade, estúdios musicais, produtoras de filmes e escritórios de design e arquitetura, a Vila Madalena passa a sediar a operação da Ampfy. A agência já ocupava o local durate a sua reforma. A inauguração oficial das novas instalações, porém, foi no último dia 20. O receptivo foi comandado pelo sócio e CEO Pedro Cabral e pelo presidente Andre Chueiri. O prédio tem quatro andares e teve sua estrutura projetada por Reinach Mendonça (RMAA). O Superlimão Studio foi o es- “Em 2016, a agência aprEsEntou crEscimEnto dE 42% Em rElação a 2015” critório de arquitetura e design escolhido para desenvolver o projeto de interiores da agência. Responsável pelo design do Google Campus e outras obras com desenhos atuais, o estúdio buscou novas linguagens estéticas inspiradas no dia a dia, que reúnem a funcionalidade, a simplicidade e a consciência de materiais. Chueiri afirma que a Ampfy vive um momento único nesses tempos de crise. O novo espaço é elemento de motivação da equipe. “Eles estão muito orgulhosos e garantem um clima especial à operação”, diz o presidente da agência. “Queremos trabalhar com autênticos hackers de marketing dos nossos clientes, ou seja, invadindo sua intimidade para descobrir como podemos ajudá-los a criar soluções com um monitoramento avançado e antecipado”, destaca Chueiri. “Como todos nós trabalhamos com notebooks, optamos por deixar as nossas posições de trabalho prontas para mudar a qualquer momento, de acordo com a necessidade de novos projetos”, explica o CSO Gabriel Borges. “Em 2016, a agência apresentou crescimento de 42% em relação a 2015. Este é o quinto ano consecutivo de crescimento acelerado”, finaliza Cabral. 36 24 de julho de 2017 - jornal propmark

AGÊNCIAS FCB Brasil incentiva coletividade e a ir além do óbvio na comunicação Empresa, que recentemente adotou o posicionamento We Are Makers e conquistou seis clientes, tem expectativas positivas para este ano JÉSSICA OLIVEIRA ano de 2017 tem sido especial para a FCB Brasil, com O conquista de contas, concretização do posicionamento e boa expectativa para o período. “A iniciativa privada entende ou está entendendo que o pior já passou. O ano passado foi inacreditavelmente mais complexo que esse”, diz Pedro Cruz, CCO (Chief Cultural Officer) e COO (Chief Operating Officer) da FCB Brasil. Em junho, a agência adotou o posicionamento We Are Makers, conceito que vem do Movimento Maker, extensão da cultura Do-it-Yourself. “Os valores que vivemos são da cultura maker, como trabalho em conjunto e o apreço ao risco. Não vamos dizer que nascemos prontos para ser makers, mas estamos trabalhando nisso”, afirma Cruz. O executivo explica que a mudança concretiza o que estava sendo semeado, plantado e colhido há algum tempo na agência e a empresa apenas reconheceu o que já fazia sentido para ela. No RH, por exemplo, atração, treinamento, desenho de carreiras e manutenção de talentos estão sendo feitos nessa nova cultura. As contratações recentes de Alexandre Nolasco, como gerente de mídia; André Pallu, como redator; e Antonia Zobaran, como diretora de arte, já refletem isso. “Os três fazem sentido dentro do espírito que a agência quer ter, é um tijolo a mais nessa história. (A CCO) Joanna Monteiro tem uma sensibilidade enorme para montar a equipe. Dá mais de trabalho porque passa por várias lentes, mas a gente diminui muito a chance de errar”, conta Cruz. A FCB trouxe de Cannes Lions, este ano, dois Leões de prata na categoria Design, pelo case De Real para Realidade. O projeto para o Estadão é uma plataforma que calcula os bens Pedro Cruz: “Gostamos de fazer as coisas bem planejadas, nada é feito de maneira impulsiva e improvisada” “Não vamos dizer que Nascemos proNtos para ser makers, mas estamos trabalhaNdo Nisso” Estúdio Mario Daloia /Divulgação e serviços que poderiam ser proporcionados à população com o dinheiro desviado pela corrupção. Feliz com o resultado, o executivo lembra que a comunicação é influenciada e também ajuda a influenciar o mundo, e faz sentido olhar para a comunicação como um vetor de valores e de transformações. “É um dever de casa mais complexo e interessante. É uma vertente contemporânea do que se espera da comunicação”, diz. Em outubro, a agência vai apresentar a terceira parte de um estudo feito há cinco anos sobre a construção de confiança no mercado da comunicação. Em 2012, o foco foi confiança; em 2015, empatia; e, neste ano, será medo. O estudo mapeou a mente humana e como as emoções se estruturam na hora de construir a confiança. A ideia é entender como usufruir desse conhecimento para que o discurso da marca seja mais robusto e efetivo. Na FCB desde 2011, Cruz destaca o jeito da agência de investigar as coisas além do óbvio e aprofundar o conhecimento sobre comunicação. Outro pilar é oferecer às pessoas espaço para participar, de forma aberta e transparente. “Gostamos de fazer as coisas bem planejadas, nada é feito de maneira impulsiva e improvisada. E tem espaço para todo mundo se manifestar. É um estilo democrático que o Aurélio trouxe”, elogia. A agência foi fundada em 1973, passou por transformações até que, em 2014, adotou a marca atual. Sob o comando de Aurélio Lopes, presidente FCB Brasil e Chairman América Latina, ela tem cerca de 300 colaboradoes, a maioria em São Paulo, e 19 clientes, entre eles Mondelez, Sky e Brookfield Incorporações, um dos seis conquistados este ano, que mudou de nome para Tegra Incorporadora. jornal propmark - 24 de julho de 2017 37

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.