Views
11 months ago

edição de 20 de fevereiro de 2017

  • Text
  • Marca
  • Fevereiro
  • Propmark
  • Jornal
  • Brasil
  • Anos
  • Marcas
  • Paulo
  • Mercado
  • Tudo

INOVAÇÃO Madame

INOVAÇÃO Madame Aubergine é plataforma de negócios para marcas e sabores Marisa Furtado deixa sociedade da agência Fábrica, agora apenas sob o comando de Luiz Buono, para projetos de gastronomia e eatertainment MARCELLO QUEIROZ Basta uma simples análise na evolução da humanidade para se perceber a grande importância da comida no desenvolvimento das mais variadas formas de sociedade. Da caça feita por trogloditas e outros habitantes pré-históricos aos ostensivos banquetes dos reis da Idade Média, a transformação dos alimentos em hábitos de refeições, acompanhados por bebidas, temperos exóticos e outros itens de prazer, marca importantes fenômenos culturais através dos tempos. Nos modernos ou pós-modernos, atualmente, a gastronomia e suas diversas ramificações, no prato ou na mídia, abrem um leque com muitas oportunidades de negócios para misturar o saber da culinária e os seus infinitos sabores envolvendo-os com marcas, conhecimento e estratégias de consumo. Encontra-se exatamente nesse leque a possibilidade de atuação do Madame Aubergine Cozinha & Cultura, uma nova proposta para o segmento eatertainment, comandada pela agora ex-publicitária Marisa Furtado, que acaba de deixar sociedade e o cargo de vice-presidente de inovação da agência Fábrica. “Concluí um processo de transição e vou desenvolver um trabalho com foco em um dos maiores fenômenos sociais, que é a gastronomia”, diz Marisa. A Fábrica, que surgiu no mercado em 1995 como uma agência de “comunicação dirigida”, foi lançada por Marisa e os sócios Luiz Buono e Sidney Ribeiro. A operação fica agora com concentração acionária em Buono, o VP de atendimento. Sidney Ribeiro, que era VP de criação, saiu da sociedade em 2013, quando passou a se dedicar a projetos de artes plásticas. Os valores das transações para a dissolução da sociedade não foram revelados. Buono e sua Fábrica, hoje com o conceito de “agência de comunicação por resultados”, será sócio de projetos especiais do Madame Aubergine. Posicionado como uma plataforma de negócios, o Madame Aubergine Cozinha & Cultura tem o objetivo de atuar com consultoria, criação e curadora de conteúdo, cursos, venda e cocriação de produtos, publishing e projetos de entretenimento gastronômico. Tais projetos incluem desde ações de relacionamento para empresas até organização de viagens temáticas. A plataforma abraça três pilares – Serviços, Experiência e Negócios com o Trade – em ambientes físicos e online em uma lista de atividades que abran- Andrea Russo, Marisa Furtado e Luiz Buono no espaço Madame Aubergine Cozinha & Cultura: saída de sociedade de agência para co gem de livros a e-commerce. O Madame Aubergine conta com a também ex-publicitária Andrea Russo, que foi gerente-geral da Fábrica, como diretora-associada. O projeto do Madame Aubergine teve início em 2015, quando Marisa Furtado decidiu ter um “ano sabático” para avaliar a viabilidade de uma startup, incubada pela própria Fábrica, na área de gastronomia. Nos últimos dois anos, ela reorganizou e conciliou sua agenda e processos de trabalho com o objetivo de “garantir” o bom andamento dos negócios, independentemente de sua participação no dia a dia da agência. “Fizemos a transição sem implodir pontes e sem prejuízo aos clientes”, diz Buono. “Deixo a Fábrica com uma satisfação gigante. É um sonho bem vivido e realizado. A agência atinge a maturidade com a mesma reputação, sucesso e solidez de sempre”, avalia Marisa. SEMPRE À MESA Nascida em São Paulo, filha de pais portugueses, Marisa conta que desde criança tem forte ligação com a culinária. “Eu ficava escondida sob a mesa vendo minha avó fa- 56 20 de fevereiro de 2017 - jornal propmark

Fotos: Marcello Queiroz Parte de uma das cozinhas com mesa balcão no Madame Aubergine: oportunidades para marcas mandar plataforma de negócios na área de gastronomia Alê Oliveira “DESDE A PRIMEIRA VEZ EM QUE O HOMEM SENTOU EM TORNO DO FOGO, NA PRÉ- -HISTÓRIA, NOSSA RELAÇÃO COM A COMIDA MUDOU. FORAM AGREGADOS NOVOS SIGNIFICADOS E RITUAIS PARA OUTRAS PARTES DE NÓS E DO NOSSO MODO DE VIVER” Salada com tartar de pupunha e polvo, risoto de camarão e bolo de amêndoas com sorvete, servidos semana passada no Madame Aubergine zer nhoque e preparava um só pra mim também”, ela relembra ao afirmar que “na alegria ou na tristeza, tudo se resolve na mesa em uma família portuguesa.” Marisa faz questão de ressaltar “Não sou chef!. O meu papo é o saber gastronômico”, afirma ao revelar que sua relação “prática” com a cozinha já dura cerca de 30 anos. Ela também conta que fez pós-gradução em História e Cultura da Gastronomia. “Desde a primeira vez em que o homem sentou em torno do fogo, na Pré-História, nossa relação com a comida mudou. Além de nutrientes para o corpo, foram agregados novos significados e rituais para ‘alimentar’ outras partes de nós e do nosso modo de viver”, escreveu Marisa em um dos seus trabalhos acadêmicos. Para ela, a revolução da mídia conectada e a era do conteúdo online deram uma nova dimensão à realidade da gastronomia. “O ceular virou a nossa fogueira nos dias de hoje”, ela compara, afirmando que todo o ambiente de negócios ligados à gastromídia e ao eatertainment se transformou em um “grande fenômeno sociocomportamental”. “Curtir digitalmente a comida está se tornando até mais importante do que a comida em si. Já há estudos afirmando que a comida gera maior possibilidade de reconhecimento, de ser aceito e de ser mais rapidamente notado em redes sociais”, ela diz. Marisa se refere ao turbilhão de imagens, vídeos e outros posts sobre o assunto vistos nas plataformas de redes sociais associados a momentos em que as pessoas estão vivenciando experiências culinárias, seja na preparação ou na degustação de pratos ou na repercussão de programas relacionados ao assunto. Marisa e Buono dizem que os projetos especiais entre a Fábrica e o Madame Aubergine serão desenvolvidos em área de conteúdo e de relacionamento. Segundo eles, já existem negócios em andamento, mas os nomes dos clientes envolvidos ainda estão sob sigilo. “Há muitas oportunidades para as marcas, que vão desde workshops sobre a origem de produtos a ações de branded content envolvendo todos os assuntos e itens de produtos ligados ao processo de cozinhar, servir alimentos e bebidas”, avalia Buono. Marisa destaca que a gastronomia vive “importante momento” em relação a projetos de informação e entretenimento, principalmente na área de TV. “A cota de conteúdo da Ancine favorece muito essa área. A gastronomia é a que preenche com melhor custo e resultado. Em termos práticos, basta uma câmera e uma cozinha”, exemplifica. O Madame Aubergine tem uma parceria estratégica com a Electrolux, que oferece fogões, geladeira, freezer e outros equipamentos para o espaço. Atualmente a plataforma comandada por Marisa Furtado também é responsável pelo Mesa Aposta, uma curadoria de startups de gastronomia realizada na Semana Mesa São Paulo. O Madame Aubergine também está envolvido em um “grande” evento sobre cultura digital e cultura gastronômica, que será realizado em São Paulo, no próximo mês de setembro. Recentemente, uma marca realizou com o Madame Aubergine um workshop sobre mídia programática usando como referência o fermento utilizado no pão. jornal propmark - 20 de fevereiro de 2017 57

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.