Views
2 months ago

edição de 18 de janeiro de 2016

  • Text
  • Brasil
  • Janeiro
  • Anos
  • Mercado
  • Propmark
  • Marca
  • Jornal
  • Mundo
  • Sempre
  • Clientes

mercADo Projeto

mercADo Projeto FilmBrazil anuncia patrocínio inédito ao D&AD Iniciativa da Apro investe no festival para aumentar visibilidade do Brasil na Inglaterra e gerar mais negócios Fotos: Marçal Neto e Divulgação BÁRBARA BARBOSA Após anos de investimentos bem-sucedidos para promover as produções brasileiras em vídeo no Cannes Lions, o projeto FilmBrazil, desenvolvido pela Apro (Associação Brasileira da Produção de Obras Visuais), agora desembarca, pela primeira vez como patrocinador, no D&AD Professional Awards, em Londres. O objetivo é aproveitar a taxa cambial, com a libra a quase R$ 7, para aumentar a exportação de produções para a Inglaterra e conquistar não apenas novos negócios, mas também reconhecimento para a qualidade do que é produzido no Brasil, especialmente em Film Craft. “Os mercados da Europa de uma forma geral, assim como os Estados Unidos, são alvo para o projeto por uma razão muito simples: as agências estão muito globalizadas e nossos grandes anunciantes também são globais. Além disso, a Inglaterra é, de fato, um importante centro de produção e excelência, sempre disputando a liderança e um dos grandes premiados em Cannes ao longo de toda a história. E talvez a maneira de entrar nesse mercado é por um festival como o D&AD, que é reconhecido, tem respeito, mas ainda é pequeno e se mantém como algo premium. Quem passa por esse festival tem, de fato, um selo de qualidade. A nossa ideia é ter esse selo e também aumentar nossa participação nesse mercado”, explica Paulo Roberto Schmidt, presidente da Apro e fundador da Academia de Filmes. Ainda de acordo com Schmidt, embora a perspectiva seja boa, o caminho não será tão simples, após um 2015 crítico que, segundo números ainda não consolidados da Apro, terminou com queda de 10% no faturamento do mercado de produtoras. “Hoje a moeda inglesa está quase 7 reais. Ou seja, é um investimento considerável que estamos fazendo. Mas é algo que precisamos fazer. Não podemos perder este ano, por causa das Olimpíadas, que por si só já é um evento que deve atrair produção internacional. Já procuramos a organização dos Jogos para que as produtoras do FilmBrazil sejam recomendadas para as produções internacionais que buscam imagens do Brasil”, comenta. “Este é o ano de começar a consolidar a nossa imagem e, a partir daí, fazer um trabalho de manutenção. O mercado na Inglaterra tem suas peculiaridades, então é preciso desenvolver um pouco mais isso nas nossas produtoras, para que elas estejam mais preparadas. Essas são as próximas etapas”, acrescenta. O investimento na nova parceria, por outro lado, não anula a participação do FilmBrazil em outros festivais, como o próprio Cannes Lions – que tem momento positivo para as criações brasileiras em vídeo após a conquista inédita, no ano passado, do GP na categoria Film, por Leica, da F/Nazca e Stink –, e o Ciclope Festival, em Berlim. “Na verdade, sempre focamos nossas ações em Cannes, que, de fato, é o maior festival, o mais popular do mundo, e sempre foi muito relevante para a construção da marca FilmBrazil internacionalmente. Profissionalmente nosso mercado foi evoluindo e agora, anos depois, a gente pode se orgulhar desses investimentos em Cannes, porque FilmBrazil já é uma realidade respeitada pelo mundo. O próximo passo é transformar isso em negócios”, diz Schmidt. “Quando começamos esse trabalho, já sabíamos que seria difícil. As produções brasileiras Pablo Brandão, representante do D&AD na América Latina, e Marianna Souza, gerente do projeto FilmBrazil Paulo Roberto Schmidt, presidente da Apro: expectativa é aumentar visibilidade das produções brasileiras tinham uma imagem um pouco desgastada e a nossa qualidade, de certa forma, também era um pouco menosprezada. O Brasil sempre foi bem visto em Cannes em criatividade, onde os nossos publicitários sempre foram muito respeitados, mas ouvíamos que a produção deixava a desejar e isso nos prejudicou”, relembra. A exemplo da virada de jogo vivida pelas produtoras brasileiras em Cannes, Schmidt aposta na parceria com o D&AD para melhorar a imagem do país na Inglaterra, mas também aumentar os negócios. Segundo ele, a ideia é que esse patrocínio movimente US$ 5 milhões para as produtoras associadas ao FilmBrasil – hoje, são 50 associados e a intenção é que pelo menos 20% consiga estar presente em Londres este ano. PArceriA O patrocínio ao D&AD será realizado em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e apoio da Shutterstock. Segundo Marianna Souza, gerente do FilmBrazil – projeto lançado em 2003 para promover as produtoras e talentos brasileiros –, será uma ação de um dia que patrocina- 12 18 de janeiro de 2016 - jornal propmark

á a categoria Film Craft com o objetivo de ampliar o foco da organização para a produção brasileira e aumentar a presença de representantes do país no D&AD. “Essa parceria era um namoro antigo, de uns 4 anos, que agora deu certo. Ao longo dos anos a gente vem amadurecendo nosso trabalho fora, junto com o amadurecimento do trabalho das produtoras. O nível do que é feito no Brasil tem tido muita relevância fora, por isso que a gente patrocina a categoria craft de Cannes desde o início dela. No D&AD a gente sempre quis estar, mas sempre o viu como um festival voltado mais para as agências. Aos poucos fomos amadurecendo e trabalhando nessa parceria que a gente acredita muito, principalmente pelo momento”, diz Marianna. “O Reino Unido sempre foi um mercado relevante para as produtoras brasileiras, mas isso se intensificou nos últimos tempos. É responsável por quase 20% do total exportado pelas nossas produtoras no último ano”, justifica. De acordo com Pablo Brandão, representante do D&AD para a América Latina, nos últimos anos o Brasil tem aumentado sua participação do D&AD e a parceria com o FilmBrazil deve consolidar esse movimento, indo de encontro à estratégia adotada pelo evento, que pretende ampliar o foco da organização para as áreas de produção e aumentar a presença de representantes brasileiros. “A diferença do festival deste ano é a quantidade de eventos dentro dele, que será maior. O Brasil já está inserido do D&AD por sua força criativa, que tem um papel muito importante. É uma oportunidade de aumentar essa visibilidade, já que o festival é uma comunicação muito grande entre as comunidades criativas”, observa. Em 2015, na categoria Film Craft do D&AD, o Brasil conquistou um Lápis de Madeira com Wish You Were Here, do Estúdio Lobo para o D&AD, e um Lápis de Grafite por Todo Mundo é Gay, da Neogama, com produção da Hungry Man, para o Festival MixBrasil. As inscrições para o 54º D&AD Professional Awards, que premia anualmente o melhor da propaganda e do design, a partir da avaliação de profissionais do mundo inteiro, já estão abertas e podem ser feitas no site do festival. Historicamente, a edição de 2016 será o maior até agora, com duração de oito dias, de 18 a 24 de abril, no leste de Londres. Em 2015, o D&AD premiou o vídeo Wish you were here, do estúdio brasileiro Lobo, inspirado em campanhas como Epic Split, da Volvo, com Jean-Claude Van Damme, e produzido para divulgar o próprio festival, que este ano terá patrocínio do FilmBrazil Cena do vídeo Todo mundo é gay, que usou de bom humor para divulgar o festival MixBrasil e, além do prêmio no D&AD, alcançou reconhecimento em vários festivais internacionais, inclusive com um Leão de ouro em Film Craft no Cannes Lions 2015 11 brasileiros estarão no júri da competição D&AD terá 11 brasileiros entre os jurados da O edição de 2016. Serão dois presidentes de júri: Luiz Sanches, sócio e diretor-geral de criação da AlmapBBDO, que vai liderar os trabalhos na categoria Crafts for Advertising, e Fabio Fernandes, sócio e diretor-geral de criação da F/ Nazca Saatchi & Saatchi, que será o presidente de Press Advertising. Além deles, estão no júri Airton Carmignani, diretor da Stink, em Film Advertising Crafts; Aricio Fortes, VP de criação da DM9DDB, em Film Advertising; Fernanda Saboia, diretora de criação da Tatil Design, em Grafic Design; Gustavo Gaion, VP de mídia da Y&R, em Media; Joanna Monteiro, CCO da FCB Brasil, em Integrated & Innovative; Rafael Pitanguy, diretor-executivo de criação da Africa, em Digital Marketing; Roberto Vilhena, CCO da Artplan, em Direct; Claudio Lima, VP de criação da Ogilvy Brasil, em Radio Advertising, e Bruno Oppido, da DDB Worldwide, em Crafts for Advertising. “Nós não queríamos chamá-lo de festival sem entregar exatamente o que as pessoas esperam, um evento que vibra com a energia criativa. Esta não é apenas uma oportunidade para conhecer os autores de alguns dos principais trabalhos criativos, mas também é um fórum para ouvir o que eles têm a dizer sobre a nossa indústria e ser inspirador. Nada disto seria possível sem a participação de nossos jurados dedicados”, declarou Tim Lindsay, CEO do D&AD. jornal propmark - 18 de janeiro de 2016 13

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.