Views
3 weeks ago

edição de 14 de março de 2016

  • Text
  • Mercado
  • Brasil
  • Jornal
  • Propmark
  • Marcas
  • Marketing
  • Digital
  • Marca
  • Campanha
  • Empresa

inspiração Espaço

inspiração Espaço inovador: apArt é uma junção de fatores para uma única ideia, a de abrir uma galeria de arte “dentro de casa” para reunir artistas que não têm oportunidade de mostrar seus trabalhos Deixe a arte entrar na sua vida O colombiano Leonardo Macias, que já trabalhou no Brasil e atualmente está em Bogotá, descreve a influência dos avós na sua afinidade com cores, traços e tintas; ele também conta sobre o projeto da apArt 26 14 de março de 2016 - jornal propmark

Fotos: Divulgação Leonardo Macias é Chief Creative Officer da DDB Latina na Colômbia LEONARDO MACIAS Especial para o PROPMARK Minha vida sempre foi rodeada por arte. Não quero dizer que sou filho de curador, museólogo, dono de galeria nem artista consagrado. O que quero dizer é que fui criado numa família que sempre me inspirou com o seu talento artístico empírico. O meu avô, um camponês dedicado ao plantio de café, que, com a intenção de dar estudo aos seus dois filhos, mudou-se para a cidade grande e conseguiu entrar na Marinha, onde trabalhou até se apostentar. Ao chegarem os anos, ele decidiu colocar novamente as mãos na terra, desta vez, na argila. Meu avô nunca estudou anatomia, belas artes, nem nada que pudesse dar alguma base para indicar por onde começar. Mesmo assim, começou fazendo figuras humanas, o que não é nada fácil. As suas obras eram figuras com cabeça gigante, com uma perna muito maior do que a outra, com braços muito curtos ou com orelhas gigantes etc. Essa era a parte mais incrível da sua obra, a imperfeição. Suas obras estavam espalhadas pela casa inteira. Minha avó sempre foi dona de casa, porém, tinha uma habilidade adicional. Fazia praticamente todas as suas roupas. Essa habilidade a levou a acompanhar o seu marido em suas incursões artísticas e, da mesma forma, sem nenhum conhecimento técnico, começou a pintar. Pintava nos retalhos dos tecidos que ficavam dos seus vestidos, juntava vários sem importar a estampa e essa era a sua superfície. Se ela não sabia pintar um pássaro, não se importava. Recortava a imagem de um livro e a colava na sua composição. Nuvens eram pedaços de algodão e, como não tinha dinheiro para a moldura, emoldurava com sobreposições de renda grossa. O resultado, na minha opinião, era espetacular. Mas, nenhum dos dois nunca tinha pisado em uma galeria de arte. Hoje, olhando para trás, vejo que nada é por acaso. Eu continuo sendo inspirado pela arte. Muitas vezes prefiro não almoçar e ir ao Centro ver alguma exposição ou, nos fins de semana, visitar ateliês de artistas, galerias ou museus. Minha procura pela arte me inspirou a ter uma ideia, juntamente com minha mulher, a de abrir uma galeria de arte de uma maneira completamente nova. Alguns fatores se juntaram para se chegar a essa ideia. Nossa casa já parecia uma galeria de arte por causa da nossa coleção. Eu queria mostrar o meu trabalho como artista e não tinha uma galeria interessada. Também ouvia pessoas talentosas dizendo que não tinham a oportunidade de mostrar a sua arte em nenhum lugar. Alguns amigos não visitavam galerias porque lhes parecia um lugar intimidador... Bingo! Era juntar tudo isso numa única ideia. Por isso, a arte nos inspirou e nasceu a apArt, uma galeria de arte dentro da própria casa, onde abrimos as portas para os novos artistas, para os músicos que querem uma oportunidade de serem ouvidos, para os escritores que querem lançar o seu livro ou declamar as suas poesias, para as pessoas que querem simplesmente se sentir inspiradas pela arte... Para pessoas que querem tomar uma cerveja vendo arte, para os amigos publicitários que conseguiram mostrar seus outros talentos fora da propaganda pela primeira vez, para as pessoas iniciarem uma coleção de arte sem ter de deixar as calças numa galeria, para encontrar os amigos que, por causa do tempo corrido, não conseguimos ver e, hoje, a apArt tambem é um espaço para as empresas fazerem reuniões inspiradoras com as suas equipes, para fazer workshops ou brainstormings de marcas num lugar que respira arte. A arte me inspirou e sempre vai me inspirar a vida toda. A arte alimenta a minha criatividade em propaganda e também na minha vida, por isso, recomendo deixar entrar a arte na nossa vida, pois ela fica mais colorida. Abrindo portas “Abrimos as portas para os novos artistas, para músicos que querem uma oportunidade de serem ouvidos, para escritores que querem lançar o seu livro ou declamar as suas poesias, para pessoas que querem simplesmente se sentir inspiradas pela arte... Para pessoas que querem tomar uma cerveja vendo arte, para os amigos publicitários que conseguiram mostrar seus outros talentos fora da propaganda pela primeira vez...” Avós artistas Ele fez trabalhos em argila, caracterizados pela imperfeição: com cabeça gigante, uma perna muito maior do que a outra, braços muito curtos ou orelhas gigantes etc. Ela tinha a habilidade de pintar nos retalhos de tecido, que era a superfície do trabalho; e de fazer molduras, pela falta de dinheiro, utilizando sobreposições de renda grossa jornal propmark - 14 de março de 2016 27

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.