Views
2 months ago

edição de 13 de fevereiro de 2017

  • Text
  • Brasil
  • Mercado
  • Fevereiro
  • Propmark
  • Jornal
  • Marketing
  • Anos
  • Ainda
  • Marca
  • Apenas

mídia Executivo da

mídia Executivo da Netflix revela mais uma produção de série brasileira Reed Hasting esteve no Brasil e falou sobre valor da operação local, a segunda fora dos EUA, e da produção da comédia nacional Samantha BÁRBARA BARBOSA Pela primeira vez no Brasil desde a criação da Netflix, Reed Hastings, cofundador e CEO da empresa, promoveu encontro semana passada, em São Paulo, cujo assunto central foi o desempenho local da plataforma. Ele anunciou ainda uma nova série original brasileira: a comédia Samantha, que começa a ser produzida este ano, pela Losbragas. Mantendo a política da empresa de não abrir os seus dados, Hastings não revelou o volume de usuários brasileiros da Netflix, mas garantiu que o mercado é “extremamente importante” e os “números locais são realmente impressionantes”. Globalmente, a plataforma dedeos online tem mais de 40 milhões de integrantes. Idealizada em 1997, quando ainda não havia internet como a de hoje, a Netflix começou a deslanchar no mercado norte- -americano em meados de 2001. No Brasil, o produto chegou há cinco anos, antes mesmo de ter sido exportado para a Europa - Hastings credita o investimento no mercado brasileiro ao grande interesse da população por entretenimento. O executivo garantiu, ainda, que a Netflix não tem intenção de disponibilizar seu conteúdo para anúncios. “O público ama o fato de não termos anúncios e não vemos motivo para mudar isso. Vamos continuar sem anúncios”, afirmou. Hastings reafirmou que, hoje, o poder da Netflix não está mais em ser streaming, mas sim na oferta de conteúdo, que cada vez mais será produzido pela empresa com apelo global. Ele menciona que México e Japão, por exemplo, já começaram também a desenvolver conteúdos exclusivos para a plataforma. “Pessoas gostam de conteúdo on demand. Elas Reed Hastings: “o poder da Netflix não está mais em ser streaming, mas sim na oferta de conteúdo” “DesDe o lançamento Da netflix no país, em 2011, temos investiDo no mercaDo não só com licenciamento De conteúDo local, mas também por meio De talentos em proDuções” querem escolher o que vão ver. É assim com música, com livros. A internet, claro, é um grande fenômeno, pois permite que todos participem. Lançar uma nova TV, com todas as licenças, custaria muitos dólares, mas hoje, no YouTube, por exemplo, você consegue criar canais infinitos e revelar talentos”, disse, acrescentando: “Temos muito orgulho de fazer parte dessa revolução da TV no digital”. Quando questionado sobre serviços que competem com a Netflix, como a Amazon Prime, Hastings vai além e afirma que todos os produtores de conteúdo são concorrência, mencionando como exemplos a Globo, no Brasil, e a Disney, nos EUA. COmÉdia As filmagens de Samantha terão início ainda este ano. A história mostra a vida de uma celebridade-mirim da década Divulgação de 1980, que hoje tenta salvar seu legado. Ao mesmo tempo, ela prepara sua volta aos holofotes enquanto seu marido, ex-estrela de futebol e ex-presidiário, retorna para casa após passar mais de uma década na prisão. “Esse é o tipo de conteúdo que vai espalhar a cultura brasileira ao redor do mundo. Estamos muito animados em trazer essa série”, argumentou. O executivo lembrou também de outras participações brasileiras no serviço de streaming, como Narcos, que tem direção de José Padilha e Wagner Moura como protagonista. “Desde o lançamento da Netflix no país, em 2011, temos investido no mercado não só com licenciamento de conteúdo local, mas também por meio de talentos em produções como Chef’s Table e Narcos, assim como a realização de outras séries, como o hit global 3% e, agora, Samantha”. 46 13 de fevereiro de 2017 - jornal propmark

curtas Fotos: Divulgação A VML reforçou a criação (foto). O diretor de arte Rodrigo Marinheiro assumiu o cargo de supervisor de criação e passa a se reportar diretamente aos diretores-executivos Jairo Anderson e Wellington Ferreira. A agência também contratou os redatores André Barreiros (ex-ID\TBWA, Lew’Lara, Isobar e Ampfy), Fábio Oliveira (ex-Razorfish, Iris e Salem), Beatriz Vaz (ex-Pereira & O’Dell), Sophia Montenegro (ex-Casa, LOV/Dentsu e Winnin), Bruno Tessari (ex-Salem) e Denilson Amorim (ex-Purple Cow), e a assistente de arte Beatriz Lima (ex-ID\TBWA). Com o objetivo de consolidar o atendimento dos clientes internacionais e de fazer prospecção, Renata Prado chega à Trator Filmes para integrar o time de atendimento comandado por Gabriela Lemos - sócia e produtora-executiva da produtora, ao lado de Mary Lacoleta, Bruna Chamlian e Felipe Baracchini. Recentemente Samantha Abel integrou o time da Trator como produtora-executiva na área de conteúdo. Thiago Vieira (foto) passa a fazer parte do elenco de diretores de cena frilas da Companhia de Cinema. O profisisonal já chegou à Companhia de Cinema filmando vinhetas criadas pela F/Nazca para Guaraná Antarctica. Ele iniciou sua carreira em agências de propaganda, acumulando passagens pela Young&Rubicam, Neogama e Salles&Darcy. “Lá atrás, passei pela Companhia, cuidando de pesquisa de referências para diretores. Voltar como diretor é gratificante”, conclui. A Fenapro (Federação das Agências de Propaganda) fechou uma parceria com a Digitalks, plataforma que atua na área de eventos, conteúdo, treinamento e desenvolvimento no universo digital. “A parceria será importante para aproximar as agências dos provedores de serviços e provocar uma interação entre eles, além de promover a disseminação de informações e a troca de conhecimento”, comenta Alexis Pagliarini, superintendente da Fenapro. As filiadas terão descontos especiais em eventos e cursos da Digitalks. A revista Exame (foto) lançou uma edição especial em inglês para que leitores de outras partes do mundo tenham um panorama geral sobre cenário político e econômico brasileiro. A publicação está disponível em versão digital no GoRead, pelo UBook e em breve pela amazon.com. Cristina Lopes, sócia da Conspiração, retorna à produtora para liderar a área internacional em projetos de publicidade e branded content. Cristina esteve à frente do núcleo de publicidade da Conspiração por 14 anos e, em 2016, saiu para um ano sabático. No período, ela se dedicou a estudos, inclusive fez curso na Berlin School of Creative Leadership. jornal propmark - 13 de fevereiro de 2017 47

PROPMARK

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.