Views
2 months ago

edição de 13 de agosto de 2018

  • Text
  • Anos
  • Mercado
  • Brasil
  • Agosto
  • Propmark
  • Jornal
  • Publicidade
  • Marketing
  • Ainda
  • Campanha

mídia Grupo Abril fecha

mídia Grupo Abril fecha mais títulos e fica com apenas 15 revistas no portfólio Entre as marcas que foram mantidas estão Veja, Exame, Claudia e VIP; estão descontinuadas Elle, Casa Claudia, Veja Rio, Boa Forma e outras Logomarca estilizada criada pelo publicitário Erh Ray, da BETC/Havas Claudia Penteado Menos de um mês depois de Marcos Haaland e sua consultoria, Alvarez & Marsal, serem oficializados na gestão transitória do Grupo Abril, foi anunciada a primeira etapa da reestruturação que tem como objetivo recuperar sua saúde operacional: a decisão de descontinuar 11 marcas editoriais e, como consequência, demitir o que se calcula chegar a algo em torno de 800 pessoas (incluindo-se aí, naturalmente, áreas de impressão e logística de distribuição dos títulos). Entre as dispensas, há quase 200 jornalistas e profissionais das áreas de publicidade e marketing. A notícia causou forte impacto no mercado, mas era esperada, uma vez que Haaland tem em mãos a desafiadora missão de recuperar as finanças do grupo para vendê-lo. Enquanto isso, os integrantes da família Civita - como Giancarlo Civita, o último presidente, e Victor Civita Neto - se mantêm no conselho, com posições acionárias inalteradas. As marcas descontinuadas já a partir deste mês são Arquitetura & Construção, Bebê.com. br, Boa Forma, Casa Claudia, Casa.com.br, Casa Cor, Cosmopolitan, Elle, Minha Casa, Mundo Estranho e Veja Rio. O comunicado oficial, divulgado no último dia 6, afirmava que as mudanças ocorrem devido ao impacto sentido em meio às profundas transformações tecnológicas, e os cortes são necessários para lidar com a realidade econômica do país e o atual mercado de comunicação. Por enquanto, seguem mantidos 15 títulos, sendo que alguns deles, como Capricho, já operam somente na versão online. Especula-se que novos cortes podem vir, mas por enquanto seguem ativos Veja, Veja São Paulo, Exame, Quatro Rodas, Claudia, Saúde, Superinteressante, Viagem e Turismo, Você S/A, Você RH, Guia do Estudante, Capricho, Mde- Mulher, VIP e Placar. Ainda segundo o comunicado da Abril, as marcas mantidas somam audiência qualificada de 125 milhões de visitantes únicos e 5,2 milhões de circulação por mês nas versões impressa e digital. O Grupo Abril teve um último ano bastante atribulado, com a passagem de quatro presidentes diferentes em sua gestão: Walter Longo (até novembro de 2017), Arnaldo Figueiredo Tibyriça (que era VP jurídico da Abril), Giancarlo Civita e, mais recentemente, Haaland e sua consultoria. Haaland decidiu não dar entrevistas sobre as decisões recentes, e Fotos: Divulgação “A Editora Abril está empenhada no processo de transformação para acompanhar uma nova jornada das pessoas” sua assessoria afirmou que não há, neste momento, mais nada a acrescentar. Mas confirmou a saída de Alecsandra Zapparoli, publisher da Abril Mídia que cuidava do editorial, da publicidade e do marketing das marcas, que tinha mais de 20 anos de casa. A executiva não estava no pacote de demissões e teria pedido para sair. Profissionais e analistas do mercado preferiram não comentar a notícia ou falar em off, pela delicadeza de todo o processo. Procuradas, a Associação Nacional das Editoras de Revistas (Aner) e a Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap) preferiram não se pronunciar. Sandra Martinelli, presidente-executiva da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA), declarou: “A Editora Abril está empenhada no processo de transformação para acompanhar uma nova jornada das pessoas, haja vista os exemplos de Exame e Veja, que já iniciaram sua transformação digital. Reforçamos o nosso entendimento sobre a importância do publisher como provedor de conteúdo, em qualquer plataforma.” Uma fonte interna do grupo disse, por exemplo, que, apesar de tudo, está confiante na força dos títulos mantidos. Mas há, claro, um desânimo generalizado em relação à gestão estar nas mãos de um grupo financeiro, guiado por objetivos essencialmente financeiros, com poucos conhecimentos estratégicos do negócio, que estaria “emagrecendo um dinossauro”. “Parece uma decisão tomada por quem enxerga a Abril como uma editora de revistas, e não uma empresa de comunicação e mídia. E se a visão for esta, é o princípio do fim da empresa”, analisou uma fonte. Uma das grandes baixas entre as revistas é, sem dúvida, Veja Rio, criada em 1996. O publicitário Lula Vieira lançou o 44 13 de agosto de 2018 - jornal propmark

filhote da Vejona, e sua agência, V&S, tinha a conta da revista, e foi, inclusive, responsável pela criação do slogan Indispensável. A festa de lançamento foi na Sucata da Lagoa e, segundo ele, reuniu mais cariocas importantes num só lugar em toda história da cidade. O comercial para televisão tinha depoimentos de pessoas como o prefeito Marcelo Alencar, senadores, deputados, sambistas, artistas de novelas, jornalistas, socialites, gente do povo, todas celebrando a chegada de mais uma revista falando da cidade, de sua cultura, de suas belezas. Naquela época, relembra Lula, sobre a cidade do Rio de Janeiro e suas opções de compra, divertimento e lazer, havia mais de 10 publicações, como a Revista de Domingo do Jornal do Brasil e a Revista do Globo, repletas de notícias e anúncios, com dezenas de atrações em teatro, cinema, shows, exposições e eventos. “O Rio lançava moda em todos os sentidos, não só de vestuário como de comportamento, música, artes plásticas. Havia um enorme orgulho em ser carioca, em pertencer a esta cidade que se dizia o grande tambor de ressonância para o Brasil inteiro. Recebo com tristeza a notícia do fim da Veja Rio, somando-se às más notícias que chegam sobre a cidade que eu um dia escolhi para viver e criar os meus filhos. Se eu cantar hoje uma das músicas que mais simbolizam a cidade - Garota de Ipanema - talvez o verso que mais depressa venha à minha cabeça seja o trecho ‘ah, como tudo é tão triste...’”, disse Lula. CASA COR O Grupo Abril também divulgou comunicado no qual informou que os eventos Casa Cor não serão descontinuados. E promete o lançamento da agenda para 2019. Elle, Casa Claudia e Boa Forma estão entre as revistas que foram fechadas são da marca. A edição de São Paulo, que chegou ao fim no último dia 29, fechou com resultados significativos. O projeto recebeu, durante suas 9 semanas de funcionamento, mais de 115 mil visitantes, sendo 92 mil pagantes que conferiram, em 17 mil metros quadrados, os 82 ambientes assinados por 123 profissionais. Foram contabilizados, ainda, mais de 110 eventos dentro da mostra, realizados por patrocinadores, parceiros, arquitetos e cerca de 160 marcas envolvidas no projeto. Foram gerados cerca de 20 mil trabalhos indiretos em todo o decorrer da realização do evento”. Esporte Interativo deixa a TV paga e terá conteúdo criado só para digital Outra notícia abalou a mídia. A Turner colocou fim à jornada dos canais Esporte Interativo na televisão. A partir dos próximos dias, toda a programação do futebol nacional e internacional será migrada para as grades de TNT e Space, incluindo a Champions League, que tem contrato de transmissão para as próximas três temporadas e a Série A do Campeonato Brasileiro, cujos direitos vencem somente em 2024. Por enquanto, os canais EI continuarão com repetições exibidas em looping, mas a previsão é que o sinal seja totalmente interrompido em até 40 dias. Além disso, a marca continuará atuando, mas agora apenas com conteúdos criados para as plataformas digitais, o EI Plus (streaming) e os outros canais da programadora. O modelo implementado é parecido com o que já é feito pela Turner nos Estados Unidos, que, apesar de uma atuação robusta no meio esportivo local, não possui um canal de televisão específico com programação full time. Mesmo com as atividades no meio digital, a mudança resultou em cortes estimados em aproximadamente 150 pessoas. No entanto, pelo menos por hora, a equipe de transmissão deve ser mantida. Em comunicado, a Turner explica que as atividades dos canais do Esporte Interativo seguem firmes no mundo digital. “Continuaremos levando a emoção que o Brasil merece para vocês através do nosso Facebook, Instagram, YouTu- “A Casa Cor, uma das empresas do Grupo Abril, reconhecida como maior e melhor mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, informa que a marca segue no portfólio do grupo, com seu calendário de eventos no segundo semestre. Ainda este ano, a Casa Cor será realizada em 13 edições nacionais: Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ribeirão Preto, Brasília, Ceará, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Pernambuco, Bahia, Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. E, em território internacional, no Peru, no Paraguai e em Miami, dando continuidade à expanbe, Twitter, EI Plus e qualquer outra plataforma digital em que os apaixonados por esporte estejam presentes. Não dá para negar que estamos tristes com o fim dos canais Esporte Interativo na TV, mas ao mesmo tempo estamos ansiosos e animados com o futuro, em que estaremos todos os dias na TNT e Space, com as mesmas narrações, comentários e brincadeiras que nos acostumamos a ouvir nos últimos 11 anos. E, claro, seguiremos juntos, diariamente, com a nossa família de mais de 20 milhões de fãs nas redes sociais”. Toda a programação do futebol nacional e internacional será migrada para as grades de TNT e Space jornal propmark - 13 de agosto de 2018 45

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.