Views
7 months ago

edição de 12 de março de 2018

  • Text
  • Brasil
  • Maior
  • Propmark
  • Jornal
  • Ainda
  • Paulo
  • Marca
  • Aberta
  • Anos
  • Campanha

EspEcial TV aBERTa

EspEcial TV aBERTa Mercado debate métrica unificada, alcance e novos formatos no digital SBT reuniu em São Paulo agências, anunciantes, entidades e estrelas da emissora para discussões sobre complementariedade dos meios Danúbia Paraizo Já se foi a época de considerar o digital como concorrente das mídias tradicionais. Na era da complementariedade dos meios, saem na frente as emissoras de TV que utilizam formatos digitais para reforçar suas estratégias. Neste momento, a discussão evolui para se compreender como criar métricas unificadas que possam refletir essa audiência cruzada. O tema permeou os debates do evento Conteúdo em Todo Lugar, realizado na semana passada. O encontro reuniu profissionais de agências de publicidade, anunciantes, empresas de pesquisa, personalidades e executivos do SBT para discussões sobre complementariedade dos meios e como a unificação das métricas do digital e TV pode ser feita com eficiência. O encontro trouxe também palestra de Brian Fuhrer, vice-presidente sênior e líder de produto cross-plataforma da Nilsen EUA, que trouxe um panorama do consumo de serviços de streaming nos Estados Unidos. O executivo falou ainda sobre como essa tendência revela que a TV continua no centro das atenções da audiência, mas em novos formatos. A palestra serviu como pano de fundo para debate sobre o fato de que as emissoras estão apostando em serviços próprios de streaming, reforçando suas estratégias em redes sociais e mudando narrativas a fim de incluir os anunciantes na nova jornada do consumidor. “Publicidade do jeito que a gente conhece, com filme de qualquer duração, vai ser bem difícil de a gente enxergar [no streaming]. O que desafia as agências a pensar em como inserir o anunciante dentro de um contexto que faça sentido”, destacou Eduardo Simon, vice-presidente da Abap e CEO da agência DPZ&T. O executivo participou Executivos do SBT, Kantar Ibope Mídia, Abap e ABA participaram de painel sobre engajamento e retorno sobre investimento de painel ao lado de Silvana Balbo, diretora da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes) e VP de marketing do Carrefour Brasil; Melissa Voguel, presidente do Kantar Ibope Mídia; José Roberto Maciel, vice-presidente do SBT; e o jornalista Marcelo Torres, do SBT. Durante o painel, os executivos discutiram os papéis e a importância de cada meio na estratégia macro e como administrar os diversos perfis de públicos que permeiam digital e TV tradicional. “É desafiador para as marcas lidar com públicos tão diferentes. Como conviver com gerações tão diferentes e fazer sentido para todas essas pessoas? Hoje, o que o anunciante vê é que nessa complementariedade de meios existem papéis e formas diferentes de atuar em cada um”, disse Silvana. Líder mundial no ranking das emissoras com maior número de inscritos em redes sociais, o SBT aposta no modelo “jamais deixaremos de reconhecer a força da TV aberTa. a genTe esquece que ela é a Verdadeira banda larga” Marçal Neto/ Divulgação multiplataforma para dialogar com públicos distintos. Realizado ao mesmo tempo que o Teleton na TV aberta, em 2017, o Teleton Mais, programação 100% digital, comandado por Celso Portiolli, foi apresentado como case da proposta multitela. O assunto foi debatido no painel com Portiolli, além de Larissa Manoela e Maísa Silva, atrizes da emissora; Michael Ukstin, diretor de ambos formatos do Teleton; e de Marcelo Torres. “Não tem como evitar o digital. Óbvio que jamais deixaremos de reconhecer a força da TV aberta. A gente esquece que ela é a verdadeira banda larga. Quem consegue distribuir conteúdo para 207 milhões simultaneamente, sem travar e de graça? Só que ela tinha limitação de ser mão única. E com as mídias sociais elas ganham voz. Essa interação das telas está trazendo para a gente um insumo cada vez mais rico”, finalizou Maciel. 24 12 de março de 2018 - jornal propmark

ESpEcIAl Tv AbERTA “Twitter permite conexão direta com o público” Divulgação Faz algum tempo que a TV aberta utiliza ferramentas do Twitter muito além dos 280 caracteres. De hashtags a lives, programas encontraram na plataforma maneiras de estimular debates, conversar com internautas e, claro, manter o público ligado na telinha. Pitter Rodriguez, diretor de parcerias de esportes do Twitter para a América Latina, destaca o trabalho entre plataforma e emissoras, comentando os cases de Masterchef, da Band, Dancing Brasil, da Record, e Big Brother Brasil, da Globo. Confira a seguir os principais trechos desta entrevista. JÉSSICA OLIVEIRA FORMATOS As parcerias do Twitter com os canais de TV ocorrem em diferentes formatos: existem parceiros que optam por exibir na tela da transmissão na TV tweets em tempo real e outras informações vivas oriundas da plataforma, levando para a tela as principais conversas sobre o assunto que são realizados em tempo real no Twitter; os que preferem utilizar a plataforma para realizar enquetes e votações; e outros que utilizam produtos do Twitter para estimular conversas na plataforma. ENTENDIMENTO Nossos parceiros de TV têm criado a consciência de que apostar na força do digital é um caminho claro para ampliar o alcance de suas transmissões e incrementar suas audiências. Em relação à integração com a TV, o Twitter virou uma segunda tela por excelência. Hoje, as conversas no Twitter sobre os programas oferecem às emissoras e marcas patrocinadoras uma extensão da sua mensagem na TV e, mais que isso, a possibilidade de interagir com o consumidor. O vídeo e a integração do Twitter com a TV surgem como formatos com alto poder de engajamento e socialização. Nosso objetivo é que o conteúdo de qualidade gerado “conversas no TwiTTer sobre os programas oferecem às emissoras uma exTensão da sua mensagem na Tv” por parceiros seja potencializado na plataforma. cOMEÇO Quanto mais cedo o Twitter for considerado na estratégia do conteúdo, melhor será o formato de entrega na plataforma. O Twitter permite uma conexão direta com o público no momento em que estão buscando informações sobre um tema de interesse e, portanto, mais abertos a receber novas mensagens. É necessário saber em que momento e como falar com esse público - principalmente porque os parceiros podem participar de forma efetiva das conversas em torno de seus programas antes, durante e depois da exibição dos conteúdos. INTEgRAÇãO O Masterchef Brasil utiliza diversas integrações com o Twitter para engajar com os fãs. Durante a exibição dos episódios, por exemplo, tweets Pitter Rodriguez: “O live faz parte de uma estratégia global do Twitter lançada em 2016” selecionados dos espectadores são mostrados na tela, levando para a TV as principais conversas sobre o assunto que são realizados em tempo real no Twitter, o contador no canto da tela informa, em tempo real, o volume de tweets sobre o programa e, quando a #MasterChefBR entra na lista de assuntos mais comentados do momento, um alerta de Trending Topic é mostrado na TV. E os jurados e demais participantes do programa interagem bastante com os fãs via Twitter. Em edições anteriores, o anúncio do vencedor do programa já foi feito primeiramente pelo Twitter. pERIScOpE O BBB faz transmissões dedeo ao vivo via Periscope sobre os principais acontecimentos, entradas ao vivo direto da casa (inclusive nas festas) e mesas debates. Todo conteúdo pode ser acompanhado pela #RedeBBB. A temporada 17 do BBB foi a mais comentada no Twitter dentre todas as edições do reality show. Foram mais de 42 milhões de tweets sobre o programa na plataforma, um total 48% maior que o de 2016. O Big Brother, assim como The Voice Brasil, também já contou com emojis personalizados na plataforma, criados para ilustrar as conversas sobre o assunto no Twitter. lIvE O formato live faz parte de uma estratégia global do Twitter lançada em 2016. O público fica a par do que está sendo falado sobre o assunto em tempo real e pode participar da conversa - em uma única tela. O fato de a primeira transmissão ter sido o Dancing Brasil, um conteúdo premium de TV aberta, com um parceiro da relevância da Record, só reforça que é uma janela complementar e muito importante nas estratégias de distribuição. jornal propmark - 12 de março de 2018 25

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.