Views
3 months ago

edição de 12 de fevereiro de 2018

  • Text
  • Jornal
  • Marketing
  • Brasil
  • Empresas
  • Propmark
  • Paulo
  • Fevereiro
  • Mercado
  • Digital
  • Marcas

we mkt

we mkt Vergani_Fotografia/iStock Fotos do fundo do poço (2): depressão, o retrato “Estou cansado, é claro. Porque a certa altura a gente tem de estar cansado”. Fernando Pessoa Francisco alberto Madia de souza Todos procuram preservar as aparências. Até onde suportam. Nos primeiros meses muitos chegam a afirmar: “essa crise eu tiro de letra”. Outros, por razões que até a razão desconhece, vão mais adiante e, mesmo antes de enfrentar, dizem: “já superamos a crise...”. Dias, semanas e meses passam, a situação se agrava, as primeiras vítimas não resistem e vão tombando pelo caminho. Sensações de desânimo, de perda de rumo, tonturas, raciocínio embaralhado e, mais cedo ou mais tarde, acabam recorrendo aos socorros e orientação médica. E, assim, se passaram três anos, desde as primeiras manifestações até agora. O que ocorreu de verdade? Onde se encontra a fotografia da dimensão da crise? Nos remédios. Nos antidepressivos, especialmente, e também nos ansiolíticos. Segundo a “mãe dos burros”, a Wikipédia, são fármacos eficazes para tratar transtornos depressivos... Transtornos de ansiedade, distúrbios de sono e outros problemas de saúde. No ano em que a crise finca sua marca, 2015, vendeu-se 5,4 milhões de unidades de antidepressivos no primeiro semestre. Em 2016, 5,2 milhões, e, em 2017, 5,4 milhões – tudo no primeiro semestre, de janeiro a junho desses anos. Primeira reação. Praticamente nenhum acréscimo, se a foto é essa a crise não foi tão grande assim. Calma. Estou me referindo aos antidepressivos referências, os de marca. Agora, vamos consultar nos genéricos: 11,6 milhões de unidades no primeiro semestre de 2015; 13,6 milhões, em 2016; e 16,5 milhões no primeiro semestre de 2017 (últimos dados disponíveis). É essa a verdadeira fotografia. A partir do segundo semestre, a crise foi arrefecendo e já se sente no ar, neste início de 2018, uma suave brisa de recuperação. Parcela expressiva dos que mergulharam de cabeça na depressão em função da crise e nos últimos três anos, conseguirão superar e voltar a uma situação de normalidade. Outros tantos, no entanto, carregarão consigo e para sempre o hábito de medicar- -se com regularidade. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a depressão afeta hoje 4,4% da população mundial. No Brasil, a taxa é de 5,8%. Mas onde os brasileiros são campeões absolutos é nas taxas de ansiedade: 9,3% da população, em menor ou maior intensidade, é ansiosa! Não é à toa, portanto, que os principais fundos e gestores de investimentos continuam de olho no negócio de farmácias em nosso país. O crescimento e a prosperidade, nos anos da crise que agora começa a se dissipar foi, simplesmente, espetacular. Segundo dados divulgados pela Abrafarma – associação que reúne as principais (52) redes varejistas de medicamento em nosso país –, poucas vezes, em toda a história do negócio de farmácias, registrou-se crescimento tão consistente e expressivo como o dos anos da crise – 2015 a 2017. O faturamento das chamadas grandes redes saltou nesse período de três anos de R$ 34 para R$ 43 bilhões. O número de farmácias dessas redes foi de 5.274 para 7.083. A quantidade de empregados, de 100 mil para 118 mil. Segundo os dirigentes do negócio de farmácias, além de uma procura maior por antidepressivos e ansiolíticos, as mudanças procedidas no mix de produtos das farmácias, principalmente nas metrópoles e grandes centros urbanos, fez e continua fazendo com que as pessoas deixem de comprar produtos de beleza e cosméticos em supermercados, e transfiram essas compras para as farmácias. Até no tocante a bebidas e alimentos específicos, as farmácias começam a roubar vendas dos supermercados. E, ainda, a grande revolução nas farmácias, enquanto ponto de saúde, mais do que de venda de remédios, em curso, não começou. Mas, está a caminho... Francisco Alberto Madia de Souza é consultor de marketing famadia@madiamm.com.br 38 12 de fevereiro de 2018 - jornal propmark

curtas Nota: A colunista do Arena do Esporte, Danúbia Paraizo, está em férias Publicis Groupe teve crescimento orgânico de 0,8% em 2017 Alê Oliveira O Publicis Groupe anunciou seus resultados anuais, no último dia 8. O crescimento orgânico de 0,8% para 2017, de acordo com a empresa, foi resultado penalizado pelas perdas de contas de 2016 e pela reestruturação na SapientRazorfish. A receita consolidada do Publicis Groupe em 2017 foi 9,69 bilhões de euros (cerca de R$ 39,17 bilhões), uma queda de 0,4% em relação ao ano anterior. “Apesar de um contexto geral difícil e de o grupo estar em meio a sua transformação, a qualidade dos nossos resultados demonstra a força do Publicis Groupe e a nossa capacidade de adaptação às profundas mudanças que afetam nossa indústria. O grupo está mais forte do que estava há um ano”, afirmou o chairman e presidente Arthur Sadoun. Arthur Sadoun, presidente do Grupo Publicis: “O grupo está mais forte do que estava há um ano” JWT PuLa caRnaVaL cOM aMSTeL BRaSiLeiROS cRiaM PaRa Tide TeSLa Manda caRRO a MaRTe Sala de reunião vira camarote de festa A J. Walter Thompson realizou no último dia 8, na sede da agência, em São Paulo, uma festa de carnaval, com parceria da avon e da Amstel, que são clientes da agência. Pelo segundo ano consecutivo, o Bloco confraria do Pasmado animou o evento. Segundo a agência, duas salas de reunião foram transformadas em camarim, onde maquiadores fizeram o look da galera com os produtos da empresa de venda direta de cosméticos. A folia foi regada à cerveja Amstel. Além de reunir colaboradores e convidados para a folia do Rei Momo, o Carnaval da Thompson também atraiu a vizinhança do bairro do Paraíso, onde fica localizada. Dois brasileiros estão na ficha técnica da campanha de Tide, eleita pela Adweek a melhor do Super Bowl. Os criativos Kiko Mattoso e Rafael Segri, da Saatchi & Saatchi NY, são do time que criou a campanha com quatro filmes. “É um reconhecimento supercobiçado que vai para o melhor filme de todo o Super Bowl. Competimos com as melhores agências dos Estados Unidos e vencemos. Ter dois brasileiros participando desse momento tão grandioso é realmente algo incrível para todo mundo que trabalha em propaganda se orgulhar”, disse Mattoso. LOV é agência de niVea A Nivea anunciou que a LOV é sua nova agência digital. A empresa, que faz parte do grupo DAN (Dentsu Aegis Network), conquistou a conta após concorrência. “Com o avanço da relevância do digital, crescem nossas ambições de inovação e de liderar a transformação da companhia e do nosso mercado. Por isso, estamos muito confiantes e felizes com a nossa escolha. Estamos ansiosos para os próximos passos dessa parceria”, fala Andréa Bó, diretora de marketing da Nivea. Manequim a bordo do Tesla Roadster Quem considera a Tesla apenas uma empresa que fabrica automóveis está longe de enxergar o projeto de elon Musk, dono da empresa. No último dia 7, um Tesla Roadster foi lançado da mesma plataforma que lançou o homem à lua há 45 anos, no cabo canaveral, na Flórida, rumo à órbita de Marte dentro do foguete Falcon Heavy, fabricado pela Space X, outro empreendimento de Musk. O carro, não tripulado, tem um manequim vestido com um traje especial, chegará a 400 milhões de quilômetros da Terra, viajando a 11 km/s, e levará seis meses para chegar à órbita do planeta, onde permanecerá por tempo indeterminado. Diretor e Jor na lis ta Res pon sá vel Ar man do Fer ren ti ni Editora-chefe: Kelly Dores Editores: Neu sa Spau luc ci, Paulo Macedo, Alê Oliveira (Fotografia) Editoras-assistentes: Cristiane Marsola e Mariana Zirondi Repórteres: Alisson Fernández (SP), Danúbia Paraizo (SP), Jéssica Oliveira (SP), Claudia Penteado (RJ) Editor de Arte: Adu nias Bis po da Luz Assistente de Arte: Lucas Boccatto Revisor: José Carlos Boanerges Site: propmark.com.br Redação: Rua Fran çois Coty, 228 CEP 01524-030 – São Pau lo-SP Tels: (11) 2065-0772 e 2065-0766 e- mail: re da cao@prop mark. com.br Departamento Comercial Gerentes: Mel Floriano mel@editorareferencia.com.br Tel.: (11) 2065-0748 Monserrat Miró monserrat@editorareferencia.com.br Tel.: (11) 2065-0744 Diretor Executivo: Tiago A. Milani Ferrentini tferrentini@editorareferencia.com.br Departamento de Assinaturas Coordenadora: Regina Sumaya regina-sumaya@editorareferencia.com.br Assinaturas/Renovação/ Atendimento a assinantes assinatura@editorareferencia.com.br São Paulo (11) 2065-0738 Demais estados: 0800 704 4149 O PrO PMar k é uma pu bli ca ção da Edi to ra re fe rên cia Ltda. rua Fran çois Coty, 228 - São Pau lo - SP CEP: 01524-030 Tel.: (11) 2065-0766 as ma té rias as si na das não re pre sen tam ne ces sa ria men te a opi nião des te jor nal, po den do até mes mo ser con trá rias a ela. jornal propmark - 12 de fevereiro de 2018 39

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.