Views
2 weeks ago

edição de 10 de setembro de 2018

  • Text
  • Setembro
  • Mercado
  • Brasil
  • Propmark
  • Nova
  • Anos
  • Jornal
  • Marca
  • Clientes
  • Paulo

MercadO “Tendência do

MercadO “Tendência do consumo consciente é bastante clara” Thais Vojvodic é gerente de sustentabilidade da Coca-Cola Brasil e fala na entrevista a seguir sobre o investimento da empresa na embalagem retornável. A companhia lançou recentemente a promoção Junte e Troque, que incentiva o consumidor a trocar tampinhas nos pontos de vendas por garrafa retornável cheia. Thais afirma que o vasilhame de vidro nunca saiu do portfólio da marca, apesar do sucesso do descartável, da garrafa PET. Mas, agora, a companhia adotou posição e ação claras em relação aos principais temas ambientais - geração de resíduos e uso de água. “Temos compromisso público de contribuir com a destinação correta de 100% das nossas embalagens”. Veja a seguir os principais trechos da entrevista com Thais Vojvodic. Divulgação Thais Vojvodic: “Conceito de embalagens que são reutilizadas recebeu a nota máxima” Neusa spaulucci Mudança As garrafas retornáveis sempre fizeram parte do portfólio da empresa, desde que a Coca- -Cola está no país, há mais de 75 anos. Com o passar dos anos e a mudança de estilo de vida das pessoas, as embalagens descartáveis também passaram a cumprir um papel importante no dia a dia dos consumidores, mas as retornáveis nunca deixaram de existir. O reTOrnO Em um cenário global de desafios econômicos e ambientais, a empresa optou por priorizar novamente esse tipo de embalagem como parte de sua estratégia de crescimento consciente. sOluçãO As retornáveis são uma solução de preço mais acessível ao consumidor, não geram resíduos e emitem menos carbono pelo fato da garrafa ter mais de 20 ciclos de reuso. MeTa Através de investimento em infraestrutura, vasilhames, engradados e aumento de dis- tribuição, atualmente 20% do volume da empresa é comercializado em embalagens retornáveis e a meta é chegar a 30% até 2020. MeMória O brasileiro tem memória afetiva em relação às embalagens retornáveis. Estamos resgatando o início de nossa história no Brasil, onde praticamente todo portfólio era oferecido em embalagens de vidro retornáveis. pesquisa Recentemente realizamos uma pesquisa quantitativa no Nordeste e Sudeste do país, com todas as classes sociais, entre consumidores e não consumidores. O conceito de embalagens que são reutilizadas recebeu a nota máxima entre os pesquisados, que conectam espontaneamente a retornabilidade com proteção ao meio ambiente. Mesmo sem comunicarmos isso, a percepção de sustentabilidade desse tipo de garrafa já existe de forma ampla. radar O consumidor está mais atento e se identifica com as marcas que se colocam como “MesMo seM coMunicarMos isso, a percepção de sustentabilidade desse tipo de garrafa já existe de forMa aMpla” parte da solução de problemas complexos. Tendência Ainda percebemos uma distância entre discurso e prática do ponto de vista de hábitos de compra, mas a tendência do consumo consciente é bastante clara em todo o mundo. cOMprOMissO A Coca-Cola tem posição e ação claras em relação aos dois principais temas ambientais mais ligados ao seu negócio: geração de resíduos e uso de água. Temos um compromisso público de contribuir com a destinação correta de 100% de nossas embalagens até 2030. fOrça Acreditamos também que a força de sermos uma das marcas mais valiosas do mundo é essencial para conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre os problemas da sociedade e o papel de cada um. cadeia indusTrial Existem vários tipos de plástico. O PET, por exemplo, é 100% reciclável e tem valor de mercado, ou seja, é desenvolvido para ser usado e voltar à cadeia industrial. Esse é o conceito de economia circular de materiais, que prevê a reutilização de tudo. Se aplicada essa lógica, o plástico deixa de ser problema. esTilO O estilo de vida moderno dificilmente seria possível sem o uso de plásticos, o que precisa ser garantido e viabilizado na sua totalidade é a sua reutilização. A economia circular, além de não gerar perdas, reduz a utilização de novos recursos naturais. 38 10 de setembro de 2018 - jornal propmark

mercado redes de fast food evitam canudos de plástico e fomentam conscientização McDonald's, Burger King e Bob's iniciam medidas como parar de entregar item tradicional e orientar consumidor victoshafoto/iStock JÉSSICA OLIVEIRA As redes McDonald’s, Burger King e Bob’s são concorrentes em muitos aspectos, mas estão alinhados na missão de acabar com resíduos plásticos e fomentar o consumo consciente e descarte correto. Entre julho e agosto, as três empresas de fast food anunciaram mudanças em seus restaurantes, principalmente sobre os canudos. Mesmo de diferentes balcões, as redes defendem que as empresas têm papel fundamental em orientar e incentivar a população a pensar mais na importância da sustentabilidade. A Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald’s no mundo, passou a entregar canudos de plástico apenas aos clientes que pedem. A prática começou no Brasil, passou por Uruguai e Colômbia e deve se estender aos demais países da América Latina e Caribe. A iniciativa integra os objetivos do Scale for Good, que visa a mudança de cultura e comportamento da cadeia de suprimentos e do público em geral. As metas globais incluem comprar 100% das embalagens para o consumidor oriundas de fontes renováveis, recicladas ou certificadas até 2025, em todos os restaurantes. Segundo Leonardo Lima, diretor de desenvolvimento sustentável da Arcos Dorados, o McDonald’s começou esse trabalho há alguns anos com a conscientização sobre a importância da coleta seletiva e reciclagem de resíduos nos restaurantes. Agora o foco é no desenvolvimento de alternativas Burger King Brasil parou de entregar proativamente canudos e tampas de plástico para a substituição dos canudos plásticos, e ampliar a discussão pública. “Adotamos a postura de deixar o consumidor refletir se necessita do canudo. Ele decide se quer usar ou não. Já está implementado no Brasil e tivemos uma boa aceitação. Mas a principal medida é na educação para o descarte desses resíduos. Tudo deve ser descartado de forma correta. Esse assunto, Divulgação para nós, não é pontual nem é novo. Vamos trabalhar fortemente na educação para frear o descarte errôneo e inadequado”, diz. Colaboradores e informativos nos restaurantes incentivam a conscientização. NoVIdade Para o coNSUmIdor O BK parou de entregar proativamente canudos e tampas de plástico aos clientes nas 730 lo- jas do país. O público agora tem canudos biodegradáveis de papel, entregues também se solicitados. Para produtos mais sólidos, como os shakes, a marca está desenvolvendo um canudo de papel que deve estar pronto em novembro. Ariel Grunkraut, diretor de marketing e vendas do Burger King Brasil, explica que as mudanças permitirão que mais de 100 milhões de canudos deixem de ser usados anualmente. “Estamos sempre atentos e acompanhando o que está se passando na sociedade, para antecipar tendências e o que a sociedade espera da gente. Se o cliente precisa do canudo por algum motivo, entregamos e fazemos um trabalho de conscientização”, afirma. Além dessa mudança, o BK tem outras práticas no sentido da responsabilidade ambiental. Entre as iniciativas estão um programa de reciclagem de óleo, um de reuso de água e a migração da iluminação para led, reduzindo o consumo de eletricidade em 43%. “Já estamos vendo uma reação muito boa por parte do consumidor de repensar a utilização do canudo. O BK Brasil, dentro da rede global, está liderando isso. Vamos servir de referências.” O Bob’s trocou os canudos de plásticos dos milk-shakes por outros comestíveis. A mudança começou na cidade de São Paulo e no aeroporto de Guarulhos. Agora segue para o restante do país de forma gradual. Para as demais bebidas, a rede utiliza canudos recicláveis, biodegradáveis e certificados internacionalmente. jornal propmark - 10 de setembro de 2018 39

edições anteriores

Receba nossa newsletter

CADASTRAR

© Copyright 2000-2017 propmark o jornal do mercado da comunicação. Todos os direitos reservados.